Microconto #152

Descobriu que àquela hora da noite os arbustos não costumavam se mexer sozinhos.

Microconto #151

Quando o pai entrava no quarto da pequena, junto com a tranquilidade, morria também a inocência.

Microconto #150

Pensou em escrever uma autobiografia repleta de realizações pessoais.
Só não foi em frente por falta de conteúdo.

A mulher que escreveu a Bíblia - Moacyr Scliar

.
.
Acho que o que me fez ficar muito em dúvida se gostava ou não do romance, foi a mistura de linguagens. Não que seja ruim experimentar mas, não sei se a dosagem foi boa.

No romance, por meio de uma terapia de vidas passadas, a personagem principal descobre ter sido “responsável” por escrever a Bíblia (óbvio). Ela é uma das 700 mulheres de Salomão, a mais feia de todas e até passa por situações interessantes.

O legal do texto é justamente a criação de Scliar pra desenhar e explicar os acontecimentos em cima de todo o trabalho da tal escrita. Acho que aí ficou o problema, esses, que são os detalhes mais legais na construção da narrativa, foram os menos explorados.

O livro rendeu a Scliar, o Prêmio Jabuti em 2000. Scliar levou agora em 2009, mais um Jabuti na categoria romance, com o livro Manual da Paixão Solitária.

O mais engraçado é que o Jabuti, de uns tempos prá cá, já não vem agradando muita gente, ou pela repetição, ou pelo julgamento, ou às vezes, por causa de algumas qualidades. Não generalizemos, claro, mas espero que eu goste mais dessa nova obra de Scliar.

Li esse ano coisas bem melhores, mas fica a dica pra quem quiser discutir opiniões: A mulher que escreveu a Bíblia - Moacyr Scliar.

Microconto #149

Desfilava nas noites paulistanas com roupa apertada, fantasias inconscientes e só não conseguia mais dinheiro por causa do volume frontal na calça.

Microconto #148

A mão caiu junto com o corpo.
A cabeça achou o travesseiro,
o braço o chão
e o vidro a cadeira, revelando pra cima seu rótulo assassino.

Microconto #147

As nuvens levaram uns 3 animais,
do meu sorvete metade já derreteu e o papai,
com a bola,
continua brincando de morto na poça de sangue.

Subject - Sem assunto

Baby?
Passa aqui em casa antes de trabalhar. Passa?
Queria ralar minha língua na sua pele,
suar minha mão em seu prazer,
me acabar com seu corpo,
percorrer suas curvas,
encontrar brechas e me perder de amor.

Baby?
Passa aqui em casa antes de estudar. Passa?
Queria mostrar que no mapa do seu corpo todo ponto é G,
te ensinar que na cama o português pode ser errado,
que foder também dá pra conjugar,
que um mais um somos nós dois,
que sexo é orgânico e dois corpos ocupam o mesmo lugar.

Baby?
Passa aqui em casa depois que esse e-mail acabar. Passa?

Microconto #146

O trabalho artístico no mosaico da calçada foi inútil aos olhos do desesperado fugitivo.

Microconto #145

A aflição trazia melodia,
ao coração dos taciturnos,
e assim era escrita e cantada,
fundo,
fundo,
fundo.

Revista Imagine

.

.
Saiu agora em outubro a Revista Imagine, uma parceria da Telefônica com a TVA, essa edição de número 5 conta com uma reportagem exclusiva sobre produção de literatura na web. Separei um trecho da reportagem que fala sobre os trabalhos desenvolvidos por Marcelino Freire, Samir Mesquita e por mim. Confere aí.
.

Microconto #144

Ele pintou pensando em uma,
ela posou pensando em outro
e o que faltou pra obra ficar completa foi só um pouco de coincidência amorosa.

Microconto #143

Quando terminou, olhou bem fundo nos olhos e perguntou:
- Casa comigo?
Ela sorriu com pena. Era a primeira vez dele, mas a 34ª dela.

Microconto #142

Fazia um grafite que era reflexo dos seus problemas pessoais.
Criava obras de arte na cor vermelho–sangue.

O livro esquecido depois do fim

Não mesmo.
Não volte pra buscá-lo, na esperança de um sexo descompromissado, daqueles gostosos que só você sabe fazer.
Tocando-me de um jeito único, molhando-me com sua saliva e me arrepiando em sua respiração.
Não mesmo.
Não me venha com esse jeito safada que eu amo, de mancinho, me pegando de noite por baixo do lençol.
Não mesmo.
Deixe-me sozinho. Não quero essa boca em meu corpo.
Não mesmo?

Microconto #141

Depois que ela partiu, a necessidade de estar acompanhado fez com que pedisse pra ser enterrado na cova ao lado.

Microconto #140

Os humanos sem chuveiro, dividiam em casa, sob o teto de uma noite fria, os restos de comida, que os cães não queriam.

Microconto #139

A chuva a fez lembrar da infância, não pelo som, mas pela piscina que sua casa virou.