Microconto #410

Sei que é amor porque nem a chuva segunda-feira de manhã tá me irritando.

Microconto #409

- Mulheres e crianças primeiro. Gritava Hans, educadamente, em Auschwitz.

Microconto #408

Quando chega, gosto de pensar que você é uma novidade repetida.
Engano a rotina e o coração,
e assim,
vivemos num lindo mundo idiota.

Microconto #407

O bolo esquecido no forno foi tirado pelo bombeiro.

Eutanásia

A família reunida no quarto do hospital, beija, abraça e agradece o pai por tudo.
O velho retribui com uma lágrima de remorso, faz força e diz, o último que sair pede pro médico apagar a luz.

Vazando

E as obras ganharam vida. Estou sendo escravizado por criações minhas. Monstros internos vagando por aí. Angústias, medos e problemas meus, agora assustam outras pessoas. O caderno não fecha mais, tudo o que estava escrito vazou. Fugiram meus desejos, fantasias e amores, personagens dos meus segredos. Posso vê-los andando ali. Ali mesmo, olha ali, consegue ver? São meus. Assassinos que criei, amores que inventei, saudades que não passei. Minhas mentiras e verdades inventadas. Tudo faz parte do mundo de todos. Não sou dono de mais nada. Vazaram minhas memórias, vazaram minhas esperanças, vazaram meus anseios. Estou vazando. Estou secando. Já não tenho mais nada em mim. Sou oco. Sou eco. Sou vácuo.

Microconto #406

Ela mordeu a bolacha com recheio de morango, olhou pra mim e sorriu com o dente sujo.
Foi o primeiro contato com a menina da lancheira rosa.