Microconto #652

O menino enfim alcançou seus sonhos. Eles tinham o tamanho de bolinhas de gude. Caberiam no bolso o tempo inteiro. Mas a vida não usa calças. Então é mais fácil achar vontades jogadas pela rua e levar na mão. E aí, você leva só o que der pra carregar e deixa cair o que os outros podem pegar. E assim, seus excessos completam faltas.

Microconto #651

A menina pinta as coisas do mundo com a cabeça. Dentro dela as girafas são verdes, as maçãs são laranjas, os pássaros são uva, as árvores azuis, carvão rosa, olhos castanhos vermelhos amarelados. Uma sinestesia daltô-disléxica. Um mundo com mais gosto, mais cor e mais mundo.

Microconto #650

Hoje sonhei com você.
No sonho a gente andava num chão de céu.
Caminhando até a cama.
Eu deitava em seus cabelos mel esperando uma doce noite.
Eu te chamei de meu bem pela manhã.
Mas quando seus olhos abriram fui eu que acordei.
Sonhando sozinho
outra vez.