Microconto #659

Cada pipoca parecia uma galinha pequenininha, branquinha e gordinha. A menina segura o saco, olhando pensativa e de repente estoura uma pergunta "pai, o pintinho é um milho que ganha vida dentro da galinha?" O pai balança a cabeça que sim sem tirar os olhos do celular. Agora, cada pipoca, parece ainda mais uma galinha. Ela sorri satisfeita. Entra atrás do pai na sala de cinema escura e toma um baita cuidado pra não derrubar os bichinhos pelo chão.

A gente perde muito tempo se dedicando em ser o que não é

Quantas vezes você não escovou bem os dentes pra ir ao dentista mas, depois do almoço escovou rapidinho porque tava com pressa?
Quantas vezes você não se vestiu bem pr’um encontro mas, foi desarrumado pro cinema depois de um ano de namoro?
Quantas vezes você não cortou o cabelo pr’uma entrevista mas, foi trabalhar desleixado numa terça-feira?

Tem um trecho no filme When Harry Met Sally que eu gosto muito, que é quando os dois personagens tão discutindo sobre o começo dos relacionamentos e o Harry fala “Se você levar alguém ao aeroporto, é claramente o início de uma relação. Por isso nunca levo no início. Porque às vezes as coisas evoluem, e acabamos não indo mais ao aeroporto. E não quero que ninguém me diga: por que você não me levou mais ao aeroporto?”

Este não é um texto pra te tornar uma pessoa melhor. Também não é um texto pra me tornar uma pessoa melhor. E muito menos um texto pra melhorar o mundo. Este texto é só pra gente pensar um pouco e ver se dá pra fazer diferente. E eu não tô falando de mudanças radicais, tô falando de expectativas.

Eu sei que é difícil mudar o leme no meio da rota. Então, que tal fazer isso na sua próxima decisão? Tipo um teste. Que tal começar seu próximo objetivo por baixo, sendo você como você realmente é, e só então, com o tempo, tentar ser melhor?

Como falar sobre chaves quando você quer falar sobre amor?

Já reparou que muita gente tem uma chave que não usa pra mais nada?
Uma chave que já abriu um portão antigo que levava pr’um lugar incrível?
Uma chave que abria uma portinha cheia de passado amarelado?
Uma chave que abria um baú com cheiro de saudade?
Uma chave que fica perdida no fundo da gaveta, pendurada no chaveiro no meio de outras chaves ou dentro de um velho pote?

Guardar chaves só ocupa espaço. Quantas chaves você têm guardada em casa que não abrem mais nenhum coração?