Desculpa mas você não tava nas minhas metas pra esse ano

Abro a terceira garrafa de vinho e começo a escrever.

São Paulo. Dezembro. Dia 27, se não me engano.

Esse foi um ano difícil.
Dentro e fora do peito.
Dentro e fora do bolso.
Dentro e fora dos eixos.
Muitas coisas aconteceram mas, o saldo de coisas ruins, dessa vez, foi um pouco maior.
Fora que boa parte dos meus objetivos não se realizaram, e olha que eu nem tinha tantos objetivos assim.
Tomo outra taça e desisto de pensar nas coisas ruins. Vou tentar de novo.

São Paulo. Dezembro. Eu disse dia 27?
Desculpa, deve ser dia 28. Ando meio perdido ultimamente.

Lembro de umas viagens. Um trabalho bom que eu fiz. Lembro do meu livro novo que foi publicado. Umas festas doidas. Alguns amigos feitos. Umas bebidas diferentes. Lembro também de uns sabores novos que conheci. É aí que chego em você.
De todas as coisas que eu esperava pro meu ano, você não era uma delas.
Eu tinha traçado tudo, já imaginando desvios e dificuldades, claro. A gente sempre espera que alguma coisa saia da rota. A gente sempre se programa pros imprevistos. Mas você; você foi realmente uma coisa inesperada.
Outra taça.

Hoje, 29 de dezembro (?), eu me pego fazendo as metas pro ano que vem. Não sei muito bem o que esperar. Não sei muito bem o que programar. Vou colocar mais algumas viagens, mais alguns sabores, acho que é cedo ainda pra outro livro, quem sabe um novo emprego, preciso tomar vergonha na cara e tirar meu visto, mesmo não gostando tanto assim dos Estados Unidos, eu queria aprender a dançar, mas não sei se isso é uma meta ou um hobby, enfim. Muita coisa vai mudar, isso é fato. A vida é mesmo muito incerta e a gente não pode ter controle de tudo, mas pode ter foco. Olha você, por exemplo. Você não tava nas minhas metas pra esse ano. Mas agora, você já tá nas minhas metas pro ano que vem.

Mais uma taça. Saúde e feliz ano novo pra nós.

O que eu aprendi quando descobri que não sabia nada

A gente acha que pelo fato de crescer do lado da família, já conhece todo mundo muito bem. É engraçado como a gente erra a vida inteira e mesmo assim ainda não aprende umas coisas tão bobas.

Este natal, por exemplo, o Brian, que sempre foi da bagunça, foi o único que ficou em casa trabalhando. Enquanto eu, meu pai e minha mãe, saímos pruma pequena viagem. Logo esses dois que são bem caseiros. 

Natal pra mim sempre foi uma data normal. Tirando uma vez que ganhei um vídeo-game, e isso me marcou bastante, acho que o Rodrigo lembra desse dia. Os outros natais só seguiram minha expectativa.

Então, esse natal, resolvi fazer um pouco diferente. Catei as malas, catei o seu Geraldo e a dona Claudia e fomos pra Bahia. E olha, é cada coisa que a gente vai aprendendo numa viagem dessas. Trejeitos, manias e costumes que pareciam sabidos, na verdade se renovam a todo momento.

Nessa viagem eu descobri que meu pai tem mais medo de piscina do que de avião. E olha que ele tem bastante medo de avião. Descobri também que eu tava com muita vontade de comer umas comidas baianas. Mas minha mãe me superou. Meu pai deixou de lado alguns receios de estranhos e fizemos boas amizades. Minha mãe que sempre se gabou de saber nadar, perdeu pra mim em todas as competições na piscina do hotel. Pausa pra uma confissão: eu não sei nadar. Ah, teve o episódio também que meu pai ficou feliz por achar frango em todos os restaurantes. Vai entender.

Não sei como anda seu natal. Não sei como anda sua família. Não sei como anda sua relação com as pessoas que você ama. Mas uma coisa que eu aprendi foi, e talvez te ajude também, não  importa o dinheiro, não importa o glamour, não importa o tempo, não importa com quem você esteja hoje. A única coisa que importa é, você não saber nada. Porque quanto mais nadas você souber, maiores suas chances de reparar nas novidades.

Então, um natal cheio de nada, pra você entupir de histórias.

A vida é uma ampulheta

O dia não espera
pra amanhecer.
O amor não espera
o coração querer.
A saudade não espera
a distância aumentar.
A carência não espera
a falta acontecer.
O tempo não espera
o relógio funcionar.
A morte de tudo

é ansiosa.

Achar você foi o mesmo que me perder

A melhor parte da minha vida
eu coloquei na estante.
Não entendo
de( )coração
mas ela entende
de interiores.
Foi um estrago o que aconteceu em mim.
Olha isso aqui
olha como eu fiquei por dentro
quando cê entrou.
Sabe quando a casa
não tá em ordem
e chega visita?
Dá uma vergonha danada
de amar.

O que seria do espelho se não fosse o outro lado?

o tempo vai passando
e o espelho vai
en
fer
ru
jan
do
na parte de trás 
e para de refletir.
Logo o espelho
que foi feito
só pra isso.
Vai parando de refletir
e vira vidro.
Nada mais que um vidro
que não serve
pra mais nada.
Ao contrário da gente
que vai envelhecendo
e aparecendo
cada vez mais
pra gente mesmo.
Vai descobrindo o que é
o que quer
o que faz
e porque fez.
O tempo ensina a gente
a se enxergar melhor.
Algumas coisas na vida
perdem o sentido
pra você aprender
a sentir outras coisas

um pouco mais.

Reparando bem problema só não tem quem não repara bem

Pinga a goteira
no meio da sala
o pai chega
bêbado
a mãe limpa
a poça de água
e vômito
pinga pai
pinga água
pinga.