Microconto #422

Pela janela da casa velha,
mamãe vê distante
a chuva e os sonhos.

5 comentários:

HÉLIO SENA disse...

A narrativa pelos olhos do filho, e não da mãe, foi um grande achado!
Parabéns,Tiago!

Tiago Moralles disse...

Valeu Hélio.

Erica Ferro disse...

Quase chorei.
Lembrou-me alguém.
Nada mais triste que se desesperançar assim.

Tiago Moralles disse...

Chore sempre que precisar.
O choro lava as lembranças ruins.

Renata de Aragão Lopes disse...

A melancolia.