Microconto #468

Bebeto,
a caminho da cidade grande,
leva na mão uma mala folgada,
espera da rodoviária o ônibus,
e da vida nada.

Microconto #467

A mãe colocou um pouco no prato de cada um, sentou e agradeceu por hoje ter uma boca a menos pra alimentar.

Microconto #466

Dona Zizi chega em casa depois de um dia inteiro de trabalho. Empurra o portão que deixou aberto e percebe que o cachorro não fugiu. 
Uma pena. Não sabe se essa noite vai dar pra dividir o jantar por cinco de novo.

Microconto #465

O policial racista foi morto por uma arma branca.

Microconto #464

O carinho, inato.
O calor, interno.
O frio, pretexto
e a paixão, renovável.
Estávamos nós,
a Eiffel
e mais nada pra dizer.

Microconto #463

06 de agosto de 1945.
Hiroshima, 8 e 15 da manhã.
Ligação internacional.
Chateado com a mãe ele prefere não atender na primeira tentativa.

Microconto #462

Enquanto isso,
no vidro do carro de luxo,
dava pra ver o reflexo da pobreza do pedinte.

Microconto #461

Trocamos elogios a noite toda na tentativa de salvar o casamento.
Não adiantou.
De manhã ela pegou a mala cheia de adjetivos e foi embora pro meu passado.

Microconto #460

Deu um beijo na mulher e no filho,
olhou pro cachorro,
abriu a geladeira pela última vez
e resolveu desistir de tudo.