procusto

a gente não nasceu pra caber.
é sapato que aperta.
é calça que não entra.
é coração menor que amor.
parece triste
mas é verdade.
não é a verdade de mentira
que passa na TV.
se bem que na TV
também passa verdade de verdade.
minha tia Vânia
aprendeu a fazer um bolo de beterraba
assistindo TV
e o bolo é de verdade.
o coração devia ter um Procusto
pra fazer o amor caber.
porque essa é a história dele
ele serra quando é grande
e estica quando é pequeno.
mas o engraçado é que
Procusto morreu de tamanho.
não cabia dentro da própria mitologia.
quando a gente é grande quer ser pequeno.
quando a gente é pequeno quer ser grande.
quando eu era pequeno eu queria ser frentista.
achava frentista legal.
ele fazia o carro do papai andar
e assim
a gente chegava no sítio da vovó
pra ver o tio Nelson tocar.
isso tudo quem fazia era o frentista.
eu gosto do cheiro da gasolina.
ele cabe no meu gosto.
quando um cheiro cabe em você
é porque ele tem o tamanho do seu nariz
ou o tamanho do seu pulmão.
mas nem tudo cabe em você.
vai ver
não caber
seja o tamanho certo.
nem o bolo de beterraba da tia Vânia
cabe na forma.
ele derrama todo
pra dentro da gente.

Nenhum comentário: