Desculpa mas você não tava nas minhas metas pra esse ano

Abro a terceira garrafa de vinho e começo a escrever.

São Paulo. Dezembro. Dia 27, se não me engano.

Esse foi um ano difícil.
Dentro e fora do peito.
Dentro e fora do bolso.
Dentro e fora dos eixos.
Muitas coisas aconteceram mas, o saldo de coisas ruins, dessa vez, foi um pouco maior.
Fora que boa parte dos meus objetivos não se realizaram, e olha que eu nem tinha tantos objetivos assim.
Tomo outra taça e desisto de pensar nas coisas ruins. Vou tentar de novo.

São Paulo. Dezembro. Eu disse dia 27?
Desculpa, deve ser dia 28. Ando meio perdido ultimamente.

Lembro de umas viagens. Um trabalho bom que eu fiz. Lembro do meu livro novo que foi publicado. Umas festas doidas. Alguns amigos feitos. Umas bebidas diferentes. Lembro também de uns sabores novos que conheci. É aí que chego em você.
De todas as coisas que eu esperava pro meu ano, você não era uma delas.
Eu tinha traçado tudo, já imaginando desvios e dificuldades, claro. A gente sempre espera que alguma coisa saia da rota. A gente sempre se programa pros imprevistos. Mas você; você foi realmente uma coisa inesperada.
Outra taça.

Hoje, 29 de dezembro (?), eu me pego fazendo as metas pro ano que vem. Não sei muito bem o que esperar. Não sei muito bem o que programar. Vou colocar mais algumas viagens, mais alguns sabores, acho que é cedo ainda pra outro livro, quem sabe um novo emprego, preciso tomar vergonha na cara e tirar meu visto, mesmo não gostando tanto assim dos Estados Unidos, eu queria aprender a dançar, mas não sei se isso é uma meta ou um hobby, enfim. Muita coisa vai mudar, isso é fato. A vida é mesmo muito incerta e a gente não pode ter controle de tudo, mas pode ter foco. Olha você, por exemplo. Você não tava nas minhas metas pra esse ano. Mas agora, você já tá nas minhas metas pro ano que vem.

Mais uma taça. Saúde e feliz ano novo pra nós.

Nenhum comentário: