O que eu aprendi quando descobri que não sabia nada

A gente acha que pelo fato de crescer do lado da família, já conhece todo mundo muito bem. É engraçado como a gente erra a vida inteira e mesmo assim ainda não aprende umas coisas tão bobas.

Este natal, por exemplo, o Brian, que sempre foi da bagunça, foi o único que ficou em casa trabalhando. Enquanto eu, meu pai e minha mãe, saímos pruma pequena viagem. Logo esses dois que são bem caseiros. 

Natal pra mim sempre foi uma data normal. Tirando uma vez que ganhei um vídeo-game, e isso me marcou bastante, acho que o Rodrigo lembra desse dia. Os outros natais só seguiram minha expectativa.

Então, esse natal, resolvi fazer um pouco diferente. Catei as malas, catei o seu Geraldo e a dona Claudia e fomos pra Bahia. E olha, é cada coisa que a gente vai aprendendo numa viagem dessas. Trejeitos, manias e costumes que pareciam sabidos, na verdade se renovam a todo momento.

Nessa viagem eu descobri que meu pai tem mais medo de piscina do que de avião. E olha que ele tem bastante medo de avião. Descobri também que eu tava com muita vontade de comer umas comidas baianas. Mas minha mãe me superou. Meu pai deixou de lado alguns receios de estranhos e fizemos boas amizades. Minha mãe que sempre se gabou de saber nadar, perdeu pra mim em todas as competições na piscina do hotel. Pausa pra uma confissão: eu não sei nadar. Ah, teve o episódio também que meu pai ficou feliz por achar frango em todos os restaurantes. Vai entender.

Não sei como anda seu natal. Não sei como anda sua família. Não sei como anda sua relação com as pessoas que você ama. Mas uma coisa que eu aprendi foi, e talvez te ajude também, não  importa o dinheiro, não importa o glamour, não importa o tempo, não importa com quem você esteja hoje. A única coisa que importa é, você não saber nada. Porque quanto mais nadas você souber, maiores suas chances de reparar nas novidades.

Então, um natal cheio de nada, pra você entupir de histórias.

Nenhum comentário: