Equador – Miguel Sousa Tavares

.

.
Deixando de lado todo o caso criado em torno da possibilidade de plágio sobre a obra. Miguel Sousa Tavares, com um olhar jornalístico, consegue trazer detalhes que poderiam muito bem passarem despercebidos aos devaneios de escritores mais distraídos.

Equador conta uma história no meio da História. Um romance com diálogos interessantes, faz com que sua leitura seja fluída e agradável. Luís Bernardo, personagem nomeado para ser o principal, leva-nos a lugares distantes e possibilidades questionáveis.

Tratando de temas claros sobre a política e a escravidão, Miguel coloca os romances apenas como amparos para a narrativa. As expectativas são bem trabalhadas, consegui me sentir interessado para ler o Epílogo, tanto quanto espero normalmente por um desenrolar extra após os créditos no cinema.

Sem cometer Spoiler, o fim se arrasta para algo que parece óbvio com o desfecho da história, mas que, novamente, os detalhes de Miguel conseguem fazer toda a diferença.

4 comentários:

Felipe A. Carriço disse...

Pra ter criado expectativas assim, deve ser bom.

Tiago Moralles disse...

Eu gostei bastante.

Tá recomendado.

Kenzo Kimura disse...

Lei-lo-ei-lo-lhe.

Tiago Moralles disse...

Eita porra. Que "caraio" de agulha hehe.