Microconto #472

Revirando o porão, Seu Felipe resmunga baixinho, como pode caber tanta saudade dentro dessas caixinhas de brinquedo?

6 comentários:

Felipe Carriço disse...

Em alguns casos a saudade é hereditária. Passa de pai para filho, de avô para neto e vice-versas.

Prih Pereira disse...

Saudade não são datadas, quando você ainda tiver a sensação de ser uma eterna criança.

Rafael oliveira disse...

muito bom! diversos objetos e até mesmo fotografias nos levam a embarcar no passado e nos emocionar.

www.papoamigos.blogspot.com

Angela disse...

Tão doce e belo este minimáximo!

Cynthia Osório disse...

poesia!

Diego Augusto disse...

A saudade, que às vezes pode ser tão cruel, cabe nos menores espaços de nossa alma.