Aconchegar-se-ei-te-me

Quando sua mão pousou em mim
pela primeira vez eu aninhei
Já se passaram tantos sonhos
sob seus voos que hoje
eu adormeço em galhos de pele
Sob a sombra da copa
de cabelos seus
eu me refresco do sol de saudade
A tarde vai colorindo
o céu da boca
e as pétalas caem dos olhos
agora
com mais calma
Sua cabeça outono
avermelha meu rosto
toda vez que
minha boca
não consegue ficar longe
da sua boca
Ocupamos o mesmo espaço
nas estações
só que a cada primavera que passa
somos mais verão
e menos inverno
Amanheço em gramado verde
de um colo maduro
Recomeçamos o dia
com o amor de sempre
com o orvalho nos olhos.

Nenhum comentário: