O misterioso caso do homem que usava perfume de cacau

Desde que eu nasci meu pai trabalha com chocolate. Então, era comum ele chegar em casa com esse cheiro. Quando eu era pequeno achava que trabalhar com chocolate era tão bom que, era por isso que meu pai chegava tarde da firma. A gente não se via muito nessa época. Ele ficava muitas horas dentro de uma fábrica pra trazer dinheiro pra casa.

Ver meu pai chegando do trabalho era como ver alguém abrindo uma porta de um mundo onde morava a alegria. E esse mundo tinha um cheiro incrível. Engraçado que, apesar de gostar muito de chocolate, acho que eu preferia viver num mundo sem chocolate, sabe? Um mundo onde as contas não fossem tão caras, um mundo onde meu pai tivesse que trabalhar um pouco menos e eu pudesse ver ele um pouco mais.

É um pedido injusto, eu sei. Mas só entendi melhor isso agora, depois de ficar velho. Morar sozinho me fez enxergar as coisas de um jeito mais adulto. Minhas contas também não são baratas, também não paro muito em casa e vejo meu pai menos do que queria. É como se toda vez que eu faço uma visita , eu chegue por lá com um cheiro também, mas no meu caso não é cheiro de chocolate, é cheiro de saudade mesmo.

Nenhum comentário: