Nem em sonho paro de sonhar com você

Passei o braço sobre o lençol
como faço todos os dias antes de abrir os olhos.
Gosto de ver você com as mãos
primeiro.
Passar por sua cintura
subir
sentir
o desenho do seu peito
sob o pano
e perder ali
alguns minutos só
então quando sua respiração mudar
levemente
subir pro seu cabelo.
Tirar os fios do seu rosto
colocar atrás da orelha
e liberar espaço pra alcançar sua boca.
Quando enfim
seus olhos abrem
os meus também.
Ver você me olhando
é o melhor jeito de nos ver.
Mas pera
cadê?
Que que esse papel tá fazendo
no seu lugar?
Que carta é essa?
Como assim a gente não vai mais se ver?
Pois saiba
por mais que esse papel embaixo
do travesseiro lembre você
seu cheiro não tá aqui.
Ir embora da minha frente
não te tira de dentro de mim.
É uma pena que sua lembrança seja
a coisa mais palpável
que agora eu vou ter
pra acarinhar.

Nenhum comentário: