nunca sei se um sorriso é onde começa ou onde termina uma tristeza.

olho pra boca das pessoas e não vejo
sinais
nem nos olhos
nem nas mãos
nem no coração.
nem tudo que tá dentro da gente
sai.
guardar é mais que uma reação
natural.
a gente se fecha pro mundo
quando não abre nem mais um sorriso.
é incrível o poder que nossa boca tem
e não usa.
olho pro lençol
um
dois
três
sete fios de cabelo.
nosso corpo já se livra de tanta coisa.
porque algumas ainda tão aqui?
na tevê
a moça sorri
e dá um beijo ali onde confunde a intenção.
nunca sei se é o fim da bochecha
ou o começo da boca.
tanta coisa acaba antes de começar.

Nenhum comentário: