Favela, uma falta de modernidade política?

.
Clique na imagem para ampliar (vale a pena)
.

Não é, e não pode ser encarado como um problema da modernidade. As favelas tiveram suas aparições a partir da chegada imperial ao Brasil. Onde moradores, forçosamente, tiverem que ceder suas residências a toda comissão Portuguesa que aqui desembarcava. Sendo assim, obrigados a construírem suas novas casas no alto dos morros, dando origem ao termo que é utilizado até hoje para nomear os moradores de onde tudo isso deu início, Carioca, de origem Tupí kari'oka, significa casa de branco.

Agora, mais um problema é encontrado. Pejorativamente, o termo favela é apontado pela sociedade como local de aglomeração de criminosos, negros e pessoas desprovidas de condições financeiras favoráveis. A verdade é uma só, o local é uma concentração da parte desabastada da população, que se encontra nessa situação por causa do governo que não favorece a inclusão social e por causa dos próprios pares que não lutam por um reconhecimento, e sim muitas vezes, fecham-se em seus recintos esperando a solidariedade dos próximos, que devido à ignorância, tarda a chegar.

Por isso, quando nos pegarmos julgando ou fazendo um pré-conceito, não das pessoas que moram nas favelas, mas do termo propriamente dito, devemos lembrar de muitos exemplos que podem ser retirados de lá. Devemos lembrar que não só o governo com sua má administração, mas também nós, cidadãos, temos uma grande parcela de culpa na falta de aprovação dessa gente. Devemos trabalhar em prol da igualdade e da homogeneização das culturas, costumes, credos e raças, deixando de lado a descriminação e passando a ser mais conscientes na cobrança de melhores políticas e na construção de uma melhor sociedade. Para quem sabe, o significado da expressão que deu origem a tudo isso, nunca mais tenha sua cor trocada injustamente.
.
Dica de documentário: Favela Rising e Santa Marta: Duas semanas no morro.

8 comentários:

Silvia® disse...

Pré-conceito é terrivel,mas engraçado outra vez estava assistindo um documentário,mostrando que a maioria dessa população carente de outras cidades menores optam em morar em cidades grandes,em busca de um emprego e melhores condições de vida,chegam aqui em SP por exemplo se abrigam nestas em lugares onde não pagam impostos,agua,luz,e as empresas geralmente dão preferência para estas pessoas pois quando chegam com dificuldade aceitam qualquer proposta de emprego e salário,já vi gente tendo melhoria de vida,mas preferem continuar morando assim pois acostumaram a não ter despesas,e nisso outras pessoas vão chegando achando que aqui é mil maravilhas tudo mais facil,sendo que em diversos casos a reportagem mostrou que nestas cidades haviam um grande número de vagas em fabricas e estava sim era faltando profissionais para trabalharem,e eles tiveram que buscar pessoas em cidades vizinhas.

A grande maioria dos moradores de favelas vieram de outras cidades,acho que seria o caso de cuidar da raiz do problema pq cada vez mais cresce o número da população em cidades grandes devido a isso,sem contar o nascimento de tantas crianças,fala sério pobre gosta de fazer filho né!!!não tem condições mais tambem não tem conciência...hehehe
bjs bom fds

Tiago Moralles disse...

Belíssima participação.

Depois dessa nem sei o que comentar hehe.

Brincadeira. Você não lembra qual documentário era? E... concordo com você. A maioria das pessoas de classe mais baixa gostam de fazer filho sim rs.

Kenzo Kimura disse...

Du caralho essa foto.

Tiago Moralles disse...

Boa mesmo, falaí?

Sentir disse...

grande desafio vencer nossos preconceitos.

Tiago Moralles disse...

Um preconceito interno e individual.

Silvia® disse...

Puxa nem me dei conta que tinha escrito tanto assim!!!não me recordo o nome do documentário,o globo reporter também chegou a fazer uma reportagem sobre o mesmo assunto.
Tem uma parte do post que fala sobre costumes,crenças...
Eu já trabalhei em algumas favelas e pude conhecer,tem cada projeto bacana,é um aprendizado e tanto.
PS:Falei pobre,maneira popular de falar,e me incluo tb pois não sou rica!!!100 preconceitos
A ideia da foto é realmente ótima.

Tiago Moralles disse...

Trabalho voluntário é sempre bem vindo, parabéns pela atitude.