Corredor literário

Já vi muitos all type, mas nenhum me chamou tanto a atenção como esta campanha criada pela Fischer América para a 3ª edição do Corredor Literário na Paulista.

Não basta só gostar de publicidade, mas gostar de bons trabalhos. Achei uma bela sacada com um puta texto, o pior, não é que se trata só de um texto bacana, bem escrito ou agradável, são as referências, isso sim dá o diferencial para as peças. São praticamente retratos escritos de obras dos escritores, os anúncios ganham vida própria e cativam quem lê.

Redigidos por Rafael Merel e Pedro Guerra, a campanha conta com uma seqüência de cinco anúncios e por serem extensos nem todos gostariam de ler, por isso coloquei dois de escolha pessoal, quem estiver interessado pode achar os demais no
Clube de Criação e com certeza vale a pena ler.
.

.

Vírus de verdade ou gripe passageira?

.

.
Ocorreu nos dias 14, 15, 16, 17 e 18 de abril, a 22ª Semana de Criação Publicitária, que, diga-se de passagem, muito bem divulgada pela W/Brasil. E novamente, o que quero discutir não é a respeito do tema principal, e sim sobre detalhes que ficam em segundo plano, mas que a meu ver merecem atenção também.

Li no Jornalirismo
um post sobre Marcello Serpa (Diretor de Criação da AlmapBBDO e presidente do CCSP), que fez no encerramento da Semana, críticas as atuais políticas adotadas sobre as restrições nas campanhas de bebidas alcoólicas (que genericamente leva o rótulo como proibição das “campanhas de cerveja”, claro, não poderia ser de outra forma, afinal, quem injeta mais dinheiro nesse mercado?). Sobre esse assunto leia mais aqui.

Dentre os comentários, análises e “previsões”, Serpa falou sobre a atual propaganda argentina (que em minha opinião é camisa 10) e sobre a possível extinção dos virais na internet, “Na primeira e na segunda vez, tudo bem; mas, na terceira, não funciona mais. Cuidado com o limite da ética, em se esconder. Isso vai acabar”. Não sei se essa poderia ser qualificada como uma previsão muito provável. Considerando a internet um meio de divulgação em massa recente, se comparada a outras formas, o viral atinge um alto retorno em cima disso.

Por tratar-se de uma mídia espontânea, o viral, na internet, pode ser visto quando e quantas vezes o usuário quiser. Pode ser revisto, sem custos acessivos de veiculação, gera uma expectativa em quem acompanha, causa um “buzz” naqueles que gostam e assim é deflagrado pelos formadores de opiniões. Não acho, apesar de não comparar o conhecimento do Serpa ao meu, que o viral corre tanto risco. Reforço aqui não só a internet, mas todo tipo de viral que causa algum tipo de experiência e dessa forma aproxima o consumidor com a marca.

Um viral recente como foi o caso do Axe
e como está sendo indiretamente a votação para a escolha do suposto nome da empresa aérea Jetblue (ver aqui, aqui e aqui), causam grande mídia espontânea, e é exatamente para isso que os virais vieram e é exatamente por isso que ganham força. Portanto, se você ainda não foi abordado por esse tipo de ação, pode se preparar, porque seu dia vai chegar, e tomara, possamos mostrar ao Serpa que ele estava equivocado.

Resultado concurso MICA 2008

Conforme divulgado no dia 07/03, saiu essa semana o resultado do concurso nacional da MICA. O concurso que tinha o intuito de desenvolver postais sobre o tema “A cor do planeta depende de você”, divulgou os 10 ganhadores da primeira etapa. Depois de alguns problemas no site (quem acompanhou deve ter visto), com divulgações precipitadas, estão finalmente disponíveis os vencedores. Lembrando que desses, 3 irão representar o Brasil no “Oscar” da propaganda, Cannes.

Dentre os trabalhos selecionados (fica aqui a opinião de um estudante frustrado por não fazer parte da lista, hehe), destaco aqui
a frase de Bruno Barbosa de Oliveira, aqui o design de Cristiano Siqueira e aqui o tratamento de imagem da Raquel Fantinelli, que parecem fortes candidatos às 3 vagas.

Pra base aliada pode?

.

.
Conforme reportagem do UOL, as reformas feitas para a implementação de sete ginásios de escolas municipais em Santa Catarina, pelo prefeito Marco Tebaldi (PSDB), foi condenada por Membros da Executiva do PT, que entraram com uma ação popular para a mudança dos telhados. A justificativa, a administração não pode imprimir sua marca em obras públicas. Não que eu seja Tucano, ou anti-PT, de forma alguma, na verdade nem muito de política eu gosto (deixo isso pro Well), mas, e essas coisas aqui, puderam?
.

.

Devaneios criativos

.

.
O que as pessoas têm mania de dizer por aí é que para qualquer profissão é necessário criatividade. Legal. Parece que é a palavra do momento, todo mundo no fundo tem que ser criativo. Antes, era encarada como um diferencial, assim como qualquer curso superior, hoje já se tornou uma necessidade.

Isso me faz pensar seriamente em uma coisa; e os criativos das agências, como ficam? Não, porque veja só, se é uma coisa obrigatória, então no fundo, não temos mais liberdade de escolha. Se ser criativo já é necessário em todas as profissões, ou o pessoal da área pelo menos tem um aval para trabalhar com qualquer coisa ou são simplesmente acomodados, que dizem ter criatividade e por isso só já basta.

É sério, estou com medo; o cara da criação vai ter que se especializar em outra coisa, talvez até a área mude de nome, qual seria o sentido de continuar sendo chamada só de criação? E se as outras áreas também mudarem de nome, tipo, RH Criativo, ou Operação Criativa. Meu Deus, o que eu faço?

Espera. E se na verdade nós criativos somos um grupo diferente, e o que essas pessoas estão dizendo e rotulando, nada mais é do que uma desculpa para ver se vamos trabalhar para eles? É, pode ser isso também, vai ver é uma conspiração e nós não poderíamos saber dos detalhes, quem sabe o mundo está a procura de criativos e não queriam falar, afinal, o ego já é grande e falando uma coisa assim então, imagina.

Bem, mas o Nizan disse uma vez em entrevista para o canal Multishow, que nem tudo tem de ser criativo e que a necessidade constante de algo criativo e inteligente é coisa de amador ou de inseguros, e olha só, Nizan, nome forte heim? Agora embolou tudo, não sei mais nada. Eu acho que o que está acontecendo é ... Putz, já sei. Idéias vêm assim, quando você faz de tudo para não pensar nelas, tá vendo.

(O texto acima foi escrito em um momento de distração, enquanto o autor pensava em uma idéia para um job, qualquer semelhança com a realidade é mais que coincidência).

Visual sim, mas nada que uma boa redação

Quem não gosta de um lindo visual? Mas não vamos negar que quando os anúncios têm uma boa redação (claro, puxando a sardinha) ele também fica muito agradável. Coloquei aqui alguns exemplos de frases bacanas, obviamente são inúmeros, mas achei esses revirando alguns arquivos.
.

.

.

.
Misturar uma boa idéia com um pouco de bom humor rende sempre ótimas frases. Outro bom exemplo que vale ressaltar são os anúncios contextuais (como este no Puta Sacada), que também são excelentes, porém não eternos, e nada melhor do que um anúncio reconhecido em qualquer época, ou seja, cria uma longevidade invejável.

Sujando as mãos

.

.
Maravilha. Haroldo Lima (diretor geral da ANP – Agência Nacional de Petróleo) com sua enorme boca, anuncia que há possibilidades de o Brasil vir a ser o 8º, senão o 7º, maior produtor de petróleo do mundo. Tudo, graças a uma informação não oficial da descoberta de uma nova reserva conhecida como Carioca, que, segundo especulações é cinco vezes maior que a antiga descoberta, a bacia de Tupi, em Santos, tornar-se-ia com isso, a 3ª maior de todo o mundo, sem contar que será considerada a maior descoberta dos últimos 30 anos.

Tudo isso seria maravilhoso (economicamente, claro), se não fosse a tal precipitação na divulgação, que através de especulações fez as ações da Petrobras subirem vertiginosamente e, com certeza, alguém ganhou muito por trás disso, privilegiando-se dessa tal
assimetria de informação. O pior é o desencontro e a não harmonia de algumas informações sem muito cabimento, tem muita coisa controversa e seriam interessantes suas pontuações.

Há algum tempo, nosso “querido” Presidente, Luis Inácio Lula da Silva, na inauguração da plataforma P-50 em 21/04/06, fez um
gesto repetindo uma atitude tomada por Getúlio Vargas em 1952. A manifestação teve como objetivo marcar a conquista da auto-suficiência brasileira na produção de petróleo (?). A promessa era de uma produção estimada em torno de 1,9 milhão diário de barris, contra um país que consumia em torno de 1,8 milhão diário. Ótimo, até aqui.

Agora entram as pontuações. O Brasil fechou o ano de 2006 com um déficit de mais de 3 bilhões na importação do petróleo (isso por que conseguiu a “independência”), seguido de um novo déficit em 2007 aproximado de 6 bilhões, e com uma expectativa que esses números ultrapassem a casa dos 8 bilhões em 2008 (!). Na época da “mãozinha”, as palavras do ainda atual presidente da Petrobras, José Sergio Gabrielli, foram, “mais facilidade para administrar as oscilações dos preços do petróleo no mercado internacional” e nas palavras de Lula, “a auto-suficiência petrolífera significa ‘independência’ e ‘estabilidade’ para a economia brasileira num instante em que o preço do barril bate recordes no mercado internacional”.

Paralelo a isso, corre as investigações sobre o furto ocorrido no final de Janeiro em um dos contêineres da empresa, onde atualmente o Ministério Público aponta como suspeitos, quatro vigilantes da BricLog. Seria então muita coincidência essa informação surgir assim, de um forma não oficial? Onde fica aquela proposta de auto-suficiência? A verdade, é que parece haver mais de quatro mãos sujas desde o começo dessa história toda.

Dentistas

.

.
Por que a maioria dos comerciais de escova de dentes e cremes dentais terminam dizendo: - “a marca mais usada pelos dentistas”? Afinal, eles querem vender para nós clientes ou para mais dentistas?

César Charlone no banheiro

.

.
Seria muito fácil vir aqui novamente e recomendar outro filme só pelos atores, ou pela interpretação, pelos efeitos especiais ou pela trilha (mesmo assim, ainda recomendo Juno, só que não é isso o que vou fazer (pelo menos desta vez). Vamos vangloriar os profissionais brasileiros que ganham um respeito cada vez maior fora do país por suas qualidades notórias. Tudo bem que ele não é tão brasileiro, mas assim como muitos hermanos que vieram para o Brasil nas décadas de 60 e 70 e enriqueceram nossa publicidade, Charlone veio enriquecer nosso cinema.

Com uma passagem no começo de sua carreira pelos comerciais e mais recentemente ingressando no cinema nacional, tornou-se aclamado por seu trabalho. Se você ainda não ouviu falar da figurinha da vez, prazer, ele foi o Diretor de Fotografia do filme “Cidade de Deus”, indicado para o Oscar nessa mesma categoria, ah, ele também estava a frente de “O Jardineiro Fiel”, ambos dirigidos por Fernando Meirelles, e claro, não ficaria de fora de “Blindness”, já falado
aqui. Com uma bagagem acumulada de mais de 10 títulos na carreira, Charlone resolveu desta vez aumentar o grau de dificuldade e, além da fotografia fez dupla na direção com Enrique Fernandez (mais uruguaio do que ele).

Nessa nova produção que narra com um olhar triste, dramático e em alguns momentos, cômico, a viagem do Papa João Paulo II a Melo, pequena cidade uruguaia, no ano de 1988. Fernandez, dono da idéia de produção, mostra-nos o que aconteceu nos bastidores da visita, todos os preparativos da população local para o acontecimento e todos os problemas que se metem com uma visão inexperiente de empreededorismo. Com uma bela interpretação de César Troncoso no papel de Beto, que com certeza dá mais vida a trama, “O banheiro do Papa” se torna um filme com uma ótima direção, interpretação, e óbvio, nem preciso mencionar a fotografia.

Escrever bem

.

.
O ato de escrever bem não é uma arte completa por si só, ele é extremamente dependente de uma leitura bem feita por parte do receptor, sem o qual, o texto não teria nunca a harmonia perfeita de seu desenvolvimento. Deve ser mais ou menos nisso que pensou Chico Anísio quando disse recentemente em uma entrevista, “que a piada foi feita para ser ouvida e não para ser contada”.

Quem matou Isabella Vasconcelos?

.
.
.
Ou será Lineu Nardoni? Falando como um simples mortal condicionado pela mídia, já não sei mais o que deve virar ficção, ou simplesmente se parecer com a realidade. Nessa história toda, o mais deprimente não foi a trágica queda de Isabella Nardoni e também não foi imaginar que um pai seria capaz de tal ato, o triste, é o andamento que esse caso está levando. Com a repercussão que ganhou, não seria necessário discutir sobre ele aqui também. Porém, o que quero propor é uma outra ótica de discussão.

O que os veículos de comunicação vêm fazendo com o acidente (?) é simplesmente ridículo. Até quando seremos manipulados dessa forma e a qual ponto da ética se limita o uso excessivo de uma notícia como essa? Não quero parecer desalmado, irracional e frio, mas esse é meu ponto de vista. Por que as pessoas foram atrás de Alexandre (pai) e Anna (madrasta)? Eles por acaso já foram julgados? Condenados? Não; eles só foram acusados. Acusados pela mídia, que causou um frisson na população e essa se sentiu no direito de tirar satisfação; parece até que era uma filha coletiva, uma filha de todos nós. Veja bem, não pretendo quantificar a dor que a mãe (ou qualquer outro parente) está sentindo, não tenho méritos para isso, a questão aqui é outra totalmente diferente.

O pai diz que alguém entrou em sua casa e fez isso com a menina, em contrapartida, a mídia diz (mesmo que de forma indireta) que foram eles (pai e madrasta), e por sua vez a polícia, tenta se manter imparcial, como? Se a decisão já foi tomada por nós? Onde fica a questão assegurada de que todos são inocentes até que se prove o contrário?

A esta altura, mesmo que se por uma condição do destino, mesmo que por uma incrível lástima ou mesmo por algo sobrenatural, essa menina tenha realmente se jogado do 6º andar e morrido com sua queda, isso nunca será averiguado e provado, sabe por quê? Porque as autoridades passam por uma pressão da sociedade na tomada de decisão, “o pai, principal suspeito, deve ser preso”, pelo menos é isso que os meios de comunicação querem que nós pensemos, por isso ele foi ameaçado de morte e perseguido para ser linchado por cidadãos, cidadãos esses que já foram comovidos com as manchetes estampadas pelos jornais.

Está explicada agora a brincadeira que fiz no começo do post. Fiz um paralelo com o caso “Quem matou Lineu Vasconcelos?”, um tema clichê de novela, discutido pela mídia que também ganhou reportagens, notícias e fofocas em vários meios; foi na verdade, um assunto de novela
que ganhou as ruas, assim como esse assunto das ruas parece vir de novela (entendeu a confusão que isso causa na mente das pessoas?). Não quero dar uma de “Advogado do Diabo”, pelo contrário, se realmente for comprovada a culpa do pai, deve ser julgado e condenado sim, uma ótima prova de que nossa justiça (ainda) funciona. Só que, todo o problema discutido até aqui, ficou por conta da manipulação que estamos sofrendo antes mesmo de tal veredicto.

Tarado reprimido

Foi um momento mágico. Sabe aquelas cenas que você só espera ver na TV ou na grande tela da sétima arte? Era como se isso nunca fosse acontecer com ele, um cara que sempre manteve a compostura, um cara que nunca deixou transparecer nada alem do amor que sentia pela esposa. Não digo que os olhares se encontraram porque ela permaneceu fria e imóvel, parecia nem se importar com Pedro ali, observando-a com todo o seu amor, paixão e romantismo, nada comparado a qualquer outro olhar lançado antes.

Os poucos minutos que tiveram o prazer de presenciar uma linda cena platônica, foram considerados intermináveis e deram toda a magnitude e todo clímax, para aquela paixão inesperada que invadiu o coração de Pedro. Nada parecia tirar sua atenção, nem o lugar movimentado, nem as outras ao lado dela despertaram tanto furor quanto. Mulheres e mais mulheres, de todos os tipos, tamanhos e preferências passavam a sua volta e nem isso o fez mudar de opinião. Nada tão gratificante e prazeroso do que olhar e ser correspondido, mas para ele era diferente, o que mais o excitava era exatamente o contrário. Ela não se movia, não o olhava e nem ao menos expressava algum tipo de reação, e ele lá, morrendo de amores.

O fogo dentro dele subia, não se comparava mais com o das outras vezes, e não podendo mais se controlar, preferiu manter distância. Já tinha prometido a ele mesmo que se caso tivesse ela em seus braços, daria tudo o que pudesse, as melhores roupas e as melhores bijuterias; e mais, nem precisaria acabar com o casamento, a mulher não precisaria saber, os filhos não precisariam saber, ninguém precisaria, afinal, conseguiu esconder por todos esses anos sua tara compulsiva por manequins.

EXPO CIEE 2008

Não é um post patrocinado, muito menos tenho interesse por trás disso, estou colocando a informação aqui, porque além de pertinente é bem oportuna. Através de uma dica, tomei conhecimento que já estão ocorrendo as inscrições para a Feira do Estudante EXPO CIEE deste ano e achei legal compartilhar. Um evento que acontece todos os anos desde 1997. Visa, mais que instruir, colocar os jovens literalmente no mercado tão competitivo de trabalho.

Com palestras rolando nos três dias do evento, 11, 12 e 13 de abril das 10h às 20h na Bienal do Ibirapuera, local que sempre abriga mostras, desfiles e a exposição homônima da sede, agora abre as portas para estudantes sedentos não só em cultura, mas também em conhecimento e oportunidades. Para participar é fácil, faça a inscrição no site
, preenchendo alguns campos de informações (como sempre, para uma boa captação de malling), imprima sua confirmação de cadastro e troque pelo crachá na entrada. A inscrição vale para os três dias e dá o direito de assistir as palestras, você também pode concorrer a bolsas de cursos de línguas (como foi nos outros eventos) e estágios, já que terão empresas sediadas como expositores no local.

Dentre os expositores citados acima, estarão nomes como Banco Bradesco, Sebrae, Rádio Mix FM, Senai, Porto Seguro, Grupo Estado e muitos outros, então, dê uma olha melhor lá no site e veja se alguma coisa te interessa, faça a inscrição e participe, afinal, o mercado só vai te ver se você se mostrar (no bom sentido, claro).

Dica do assunto (Rodrigo Moralles)

Depois a culpa é de Freud

.

.
Sei que o que vou discutir aqui é totalmente subjetivo, mas, são ossos do ofício. As pessoas dizem que as crianças desenvolvem a sexualidade ainda na infância, acreditasse psicologicamente, graças a Freud, que isso acontece nas primeiras fases do desenvolvimento. Logo a criança que sempre foi vista com olhar de pureza, porém, isso tudo é culpa dos pais. São eles que com seus olhares conservadores colocam informações distorcidas e muitas vezes (muitas mesmo) surreais, na mente dos filhos. Imagine só, sua mãe falando que você nasceu do repolho, ou que você veio da cegonha, mas, explicar por que você não faz fotossíntese ou não tem asas e bico ninguém quer né?

Estava discutindo recentemente com um amigo, a respeito de todo o bombardeio que as crianças recebem inconscientemente sobre o mundo sexual. A começar pelas brincadeiras, em sua evolução na tentativa de virar uma criança pura (claro), quantas vezes você já ouviu nomes como “PEGA PEGA”, ou “ESCONDE ESCONDE”, “VIVO OU MORTO”, não, pior, “DURO OU MOLE”, quer mais, “PASSA ANEL” (pederastia total), e se você for vasculhar em uma consulta transcendental, vai encontrar mais podres na sua vida, até agora considerada santa.

Como citado no primeiro parágrafo sobre as desculpas para o nascimento dos filhos, isso vem evoluindo com o tempo, cada vez mais a sociedade está mais liberal e os pais que não acompanham essa evolução, deixam de passar para os filhos as informações do modo que mais lhes convem, contribuindo assim, para que ele as retire no mundo exterior. Buscando aumentar seus conhecimentos, apóiam-se em colegas de sala, amigos de rua e assim por diante. Consequentemente passam a acreditar mais nesses, que agora são suas fontes com o mundo, o que facilmente gera um vínculo com um amigo influenciador (não sempre, claro), para o uso de algum tipo de droga, seja ela de qual natureza for.

Para ilustrar essas desculpas utilizadas pelos pais coloco aqui uma pesquisa realizada recentemente pela Veja.

COMO EU NASCI? EXPLICAÇÕES MUDAM COM O TEMPO

Anos 30 - Fase Rural - "Você nasceu na horta dentro de um repolho".
Anos 40 e 50 - Fase Animal - "Você veio no bico de uma cegonha".
Anos 60 - Fase Romântica - "Você é fruto do amor do papai e da mamãe".
Anos 70 - Fase Técnica - "Papai colocou uma sementinha na mamãe".
Anos 80 - Fase Científica - "O esperma do papai fecundou o óvulo da mamãe".
Anos 90 - Fase Liberal - "Você nasceu da transa do papai com a mamãe".

Viu só, Freud analisou as crianças, mas esqueceu de seus educadores, principais culpados pela transformação sexual em suas vidas. Agora, tirando um pouco a culpa dos pais, vamos jogá-la para a mídia. Quem nunca jogou “COME COME”? Ta, tudo bem, isso é assunto para outro dia.