Overdose filmográfica

Nesse feriado de final de ano acabei passando por uma overdose de filmes, o que pra quem gosta, não foi nenhuma dificuldade. Cheguei provavelmente fácil fácil a uns 30 longa-metragens (agradeço ao uTorrent pela graça alcançada – T.F.M.).

Poderia falar de muitos deles, algumas produções antigas e outras recentes, alguns conhecidos e outros mais, alguns bons e outros melhores. De Brian de Palma a Ingmar Bergman (ou seria o contrário pelo sentido cronológico?). Alguns indicados ao Oscar e outros que ganharam prêmios mais “importantes” e democráticos.

Investiria algumas linhas tranquilamente para falar sobre o excelente italiano “Gomorra”, para criticar “Gran Torino” por seu excesso de estereótipos apesar de ter uma boa história, para dizer que não gostei muito de “Zack and Miri make a porno” porque achei uma releitura pornográfica de “Rebobine por favor” ou simplesmente para deleitar em palavras o prazer de ver “Cidadão Kane”, “O sétimo selo”, “Clube da luta”, “O dia em que a Terra parou (1951)”, “Shortbus”, “Magnólia”, “21 gramas” ou “Jogos, trapaças e dois canos fumegantes”, entre outros.
.

Cartaz censurado.

Mas, retornando ao começo do post, queria fazer referência a duas produções em especial. A primeira e menos importante, “Rede de mentiras”. Novo filme de Ridley Scott, traz Leonardo Di Caprio e Russel Crowe nos papéis principais e trata basicamente sobre conflitos terroristas na visão americana, mas mesmo assim, consegui enxergar uma pequena luz crítica no filme, acho que bem melhor retratada nesta crítica da Bravo!.

O segundo, e agora sim, mais importante, “Guerra sem cortes” de Brian de Palma. Apesar de fazer uso de uma técnica não muito nova ("Zelig" já fez isso, e muito bem diga-se de passagem). O filme, com uma leitura documental, conta a vida de uma tropa dentro da guerra do Iraque. Muito mais duro, cruel e com uma crítica muito mais explícita que o de Scott. Ainda não saiu aqui no Brasil, mas fica a dica para quem quiser conferir.

9 comentários:

Jorge Flauzino disse...

Thiago, bom dia! Como forão as festas?!
Belo post para começar o ano hein! Vou seguir algumas de suas dicas e se descubrir algo novo te envio.
Forte Abraço

Tiago Moralles disse...

Ótimo final de ano, sem festas hehe, mas ótimo.
Tinham mais filmes, mas alguns não valiam indicar e outros acabei não comentando porque ia ficar um post um pouco grande.
Deixa dicas sim, sempre bem vindas.
Abraço.

Kenzo Kimura disse...

Grande Tiago, é bom ver os blogueiros de volta à ativa. Confesso que é difícil de ficar esse tempo todo sem escrever algo.

Ah, ótima maneira de passar o fim de ano. Esta semana assistirei Gomorra. Nesse fim de ano só tive a oportunidade de ver O Ilusionista (de novo) e Surplus (também de novo).

Sucesso em 2009 e muita saúde.

Tiago Moralles disse...

Concordo com você, foi díficil. Mas como todo viciado eu não fiquei fora da ativa, acabei escrevendo alguma coisa, a segunda dificuldade foi não publicar hehe.
Depois que assistir "Gomorra" me fala o que achou.
Abraços e feliz ano novo.

Iasnara disse...

Que delícia hein?!
Pow, digo sem dúvida que depois de Persona, O Sétimo Selo é o meu favorito de Bergman - que é meu preferido de todos os idealizadores.
Além de 21 gramas, gosto de Babel e Amores Perros do Arriaga.

... humm, quero ver Gomorra.

só utorrent salva!

Tiago Moralles disse...

ISA. Lembra que uma vez estávamos em discussão sobre esse estilo de filmagem em fragmentos, e você citou "Magnólia"? Então, descobri outro, antes ainda, "Short Cuts", acho que consigo assistir esse final de semana ;)

Iasnara disse...

Magnólia é maravilhoso, vou baixar agora o "Shot Curts". Aliás Shortbus tbm é genial (a última canção é choro fácil).
Ah, e pra vc, o que é Rosebund?

Tiago Moralles disse...

Misturei os nomes hehe, estava com "Shortbus" na cabeça. Muito bom mesmo, adorei a analogia com a luz.

Ah, quanto a "Rosebud", eu acho que é muito mais do que um simples trenó, acho que alí tem muito do resgate ingênuo e infantil, ou quem sabe alienígena haha, vai saber, Orson era meio louco.

Iasnara disse...

Nada na empolgação, eu escrevi errado "ShortCuts", mas, já achei no btjunkie.
Ah, falta na tua lista dois que amo do Win Wenders: Paris, Texas e Asas do Desejo. E tbm, Sorriso de uma Noite de Amor e Através de um Espelho do Bergman. Alías, veja todos dele, ninguém sabe explorar mais o feminino. Fiz isso nas férias passada. Deu até vontade de repetir agora.