Mais discussões

No começo do ano fiz um texto intitulado “Discussões”, o post trazia assuntos polêmicos na propaganda. Estavam entre os temas, peças sobre problemas socias, ambientais e saúde, sem contar um vídeo da Nike que trazia uma situação grotesca (quando digo grotesca, não entenda como se eu não gostasse).

Alguns meses passaram e outros anúncios foram rolando. Tivemos uns bem polêmicos, como foi o caso do vídeo da Diesel para divulgação da festa de aniversário, o que rendeu posts em diversos blogs pelo mundo. Para aumentar a polêmica, o vídeo em questão foi acusado de plágio, pois levava uma estética idêntica a umas peças desenvolvidas tempos antes para informar sobre um serviço de bloqueio a sites pornográficos (saiba mais aqui).

O que me fez resgatar esse assunto-naftalina, foi este post um pouco recente do Marcelo Pollara para o Falando Nisso. O texto “re.despertou” minha atenção para continuar discutindo as bizarrices. Por coincidência, o post dele também tratava da Diesel (só que de outra campanha).

Para colocar mais lenha da fornalha das argumentações, posto agora, outros anúncios que trazem situações estranhas, grotescas e bizarras, e quero saber a opinião de vocês.

Até que ponto isso é bem vindo? Ou vocês concordam comigo, liberdade total para as ideias desde que não infrinjam problemas éticos locais?

Para começar bem, segue este vídeo da Scruffs Hardware, uma empresa (acho que Holandesa) do ramo da construção civil. Parece?
.
video
.
Blowtex – Preservativos
.

.
Dr. Barata – Impressão na caixa de pizza
.

.
Keimling – Restaurante vegetariano
.

.
Neonode – Celulares
.

.
Olivé – Super cola
.

.
Prêmio Paladar – Dedo
.

.
Worksafe – Acidentes no trabalho
.

.

16 comentários:

Felipe A. Carriço disse...

Bom tema pra debate!
Acredito que existe um nível inconsciente de aceitação coletiva pra algumas coisas. Certas campanhas apresentadas neste post nunca, de maneira nenhuma, poderia ser veiculadas aqui no Brasil a exemplo esta campanha da Worksafe. As com tema "sexuado" em veículo específico vá lá, nós até aceitaríamos, mas esta em específico mexe com este tabú da sociedade que é a aceitação de pessoas portadoras de algum tipo de deficiência e, da mesma maneira que olhamos com receio para elas na rua, sempre olharemos este anúncio com o mesmo sentimento.

Tiago Moralles disse...

Sempre o preconceito.
Você viu o problema com a campanha italiana no Rio, que tirou fotos das modelos em poses que simulam violação por policiais?
Viveremos em uma era de prés e pós-conceitos.
Feliz ou infelizmente.

G. Borges disse...

Hey, farei parte (de maneira mais direta) desse mundo de propaganda logo logo e já me fiz a mesma pergunta inúmeras vezes : até onde eu poderei ir por uma boa campanha ? Não encontrei a resposta ainda, mas penso que esse tipo de tabu para com as imagens usadas nas campanhas e até determinadas frases é ridículo. Que mania boba de ver vaginas em bocas! E se for ...onde está todo o problema?
Tem gente que demora demais pra assimilar que o mundo JÁ É redondo. Deve ser isso.

Tiago Moralles disse...

Só não concordo que ver vaginas em bocas seja uma mania boba hehe.

Bem legal a analogia com o mundo redondo Gé, gostei.

Marcelo Pollara disse...

ótimas referências Tiago.

Acho que o bizarro é bem vindo se for aplicado através de uma marca como a diesel, já que ela se posicionam dessa forma.

Mas o bizarro pelo bizarro, só pra polemizar, acho abuso.

Valeu pela citação!
abs

G. Borges disse...

Droga, não fui irônica o suficiente.. não quis dizer que é uma mania boba ver vaginas em bocas.. a mania boa é, na verdade, essa de ver qualquer conceito proconceituoso, ofensa e etc. onde não existe. Entende ?

;)

Tiago Moralles disse...

Oh rapaz, que isso citação é sempre bem vinda, e concordo contigo sobre bizarro, apesar de adorar o bizarro.

Gé, entendi sim droga. Hehe.

Felipe A. Carriço disse...

Tudo vai depender do momento certo e da hora certa de se falar algo. Uma frase colocada no momento errado pode causar grandes problemas em nossas vidas, e não é diferente com a propaganda.

Por mais que queiramos ser irreverentes e fazer uma publicidade inovadora, a sociedade não está preparada, e não fica difícil destruir uma marca por puro desejo de inovar.

Com relação à boca é óbvio, todos nos vimos uma vagina. É gestalt, e não tem como fugir disso. Mas aí é que vem o momento certo e a hora certa. Publique esta na Playboy. Pronto, problema resolvido!

A Terra é redonda, então vamos dar a volta nela, e não perder tempo cavando. É tolice.

Tiago Moralles disse...

Fechou com chave de ouro heim.

♥Silvia♥ disse...

Eu adorei a do preservativo(achei uma ótima ideia,sempre bem vinda propaganda deste produto,um bem necessário à sociedade!!!Além de enxergarmos uma vagina e etc,tb podemos ter uma mensagem de que genitais é um orgão como qualquer outro,enquanto se preocupam em esconder algo que faz parte de nós por tabu,é sangue todo dia escorrendo pela telinha e nas bancas,nisso ninguem se preocupa né!!!Do prêmio paladar tb gostei,da outra vez eu já tinha opinado,no caso da Tv um veículo mais acessivel e com uma força maior de influência deve-se ter um cuidado redobrado,quanto apologia,preconceito...Mas acho que tudo dependerá da visão do telespectador,cada um tem um gosto,um humor,na maioria das vezes o preconceito parte de quem assiste.Criatividade e inovação sempre,mesmo com bizarrice,se não forem felizes na mensagem,nós somos livres nas escolhas e ideias, devemos absorver aquilo que nos cabe...Nada agrada à todos,mas é sempre importante que haja mudanças e novos conceitos.

Vendo o video lembrei de alguns desse tipo que assisti em um programa que gosto muito do canal Multishow chamado Na Hora do Intervalo,com ótimas propagandas vc deve conhecer...

bjs

Tiago Moralles disse...

Conheço sim o programa, apesar de nunca ter visto.

Acho que com o seu comentário chegamos ao mesmo ponto do outro post: Bizarrices sim, tabus não.

Beijo mocinha.

Iasnara disse...

aprendi que, por mais nonsense que seja, a peça precisa atender uma necessidade - e geralmente é aprovada em função disso (exceções existem). estamos condicionados a famílias felizes, mulheres perfeitas, tiradinhas de espertos e celebridades da hora (pq o povo gosta), tanto que a ousadia fica meio estagnada.
é inegável que a sensação transmitida pelos anúncios postados repercuta profundamente (mesmo que negativamente). mas se a marca quer se posicionar assim - toca o terror então! deve ser divertidíssimo criar o trash.

ps.: na boa, acho que vc se sairia bem com teu humor 100% preto, rs.

pps:bjo.

Tiago Moralles disse...

Adoro propaganda trash, meio argentina nonsense.
Engraçado, mas eu também acho que me sairia bem, não sei porquê?

Obs.: Por quê você mandou um beijo em Power Point (PPS) hehe?

Iasnara disse...

foi um beijo pós post-scriptum. tipo assinatura, hahaha.

Tiago Moralles disse...

Eu já sabia, mas é que me encanta suas explicações.
;)

Brian Fidelis Moralles disse...

Comerciais bons demais!!!
Para quem já viu Laranja Mecânica: "Horrorshow!!!" RSRSRS.