Microconto #167

O zelador do parque de diversões, em meio a toda escuridão, nunca entendeu de onde vinha a alegria das famílias durante o dia.

15 comentários:

A Moni. disse...

Putz! Esse foi forte.

Haja Filosofia, Sociologia e todo o resto das "ias" pra justificar a coletividade...

Brilhante...

Natalya Nunes disse...

~


Ócios do ofício.

Fernando Luz disse...

Eu não entendo nem durante o dia.

Vivian disse...

...não dá pra não ser feliz
em meio a fantasia.
há que se ser feliz em meio
à escuridão.

adoro ler você!

smacksss, lindeza!

Natália Corrêa disse...

vinha do suor dele :D

Marcelo Mayer disse...

pede pra ele ligar a roda gigante

Sakana-san disse...

Ele podia andar de carrocel para as horas girarem mais rápido.

Renata Luciana disse...

Faz ele descer da solidão
Sentir o coração bater
ouvir os ruídos do mundo de cá
Era uma vez um tempo...

Tiago Moralles disse...

Fiquei sem aparecer por aqui a manhã inteira, desculpem pela respostas geral.
Valeu pessoas.

Amorinha disse...

O parque somente é um meio pra espalhar a felicidade; teria que ligar a roda gigante dentro de si ;P Muito bom ler tudo o que tem por aqui. Amei o blog, escreve muito bem! Virei seguidora já õ/ Beijos

Tiago Moralles disse...

Valeu Amorinha.
Pelo comentário e pela visita.
Microbeijo.

Felipe A. Carriço disse...

Que microconto obScuro.

bia martins disse...

Tb não estou entendendo hora nenhuma.
Uma pena...
tem post teu no meu blog.
Bjo, outro.

Cassiana disse...

...que luzes estranhas né.

Talita Prates disse...

Talvez viesse com o sol.

:S

Bjo.