Microconto #274

Enfim, o poeta começou a replicar na vida real, os carinhos antes derramados em secas, apaixonadas e solitárias cartas.

8 comentários:

Ju Fuzetto disse...

Sempre acontece.

beijo

A beleza do erro puro do engano da imperfeição disse...

O Poeta é um fingidor, finge tão completamente que chega a fingir que é amor, o amor que sente ou mente?

Tiago Moralles disse...

Pessoa querida.
Tu e ele.

Ludmila Melgaço disse...

Poetas são por si só tem necessidade de derramarem amores solitários.

;)

contagotas disse...

E fez muito bem!

Tiago Moralles disse...

Poetando.

Renata de Aragão Lopes disse...

A vida a imitar a arte.

Luna disse...

ô mas é bom quando vira real a poesia.