A VC

O colchão afunda.
Não sinto, mas percebo o movimento da cama.
Seu rosto aparece com uma expressão de dó.
Ou pena.
Ou carinho.
Não consigo definir.
Me fala sobre o seu dia, como sempre fazia quando chegava em casa.
Dá pra ver que você passa a mão no meu rosto e depois desce. Não sei pra onde vai, mas é gostoso imaginar.
Não faço ideia de quanto tempo tô aqui. Mas acho que é muito, levando em consideração o tanto de vezes que as enfermeiras cortaram meu cabelo.
Que por sinal deve tá uma merda.
Elas cortam, lavam e penteiam. Há quanto tempo você não me via de cabelo penteado?
Ah, quer saber, tudo deve tá uma merda.
Minha cara, meu corpo e minha falta de expressão.
Não adianta ficar reclamando né? Acho que vai ser assim pra sempre.
Essa é a hora que você vai embora.
Acabou de me dar um beijo.
Li nos seus lábios que você me ama.
Hoje vejo realmente o quanto isso é verdade.
Também falo um te amo, mas, diferente da nossa vida toda, dessa vez só eu ouço.

22 comentários:

Iasnara disse...

marejei.

Ludmila Melgaço disse...

ai. Essa doeu mesmo.

contagotas disse...

Breve e intensa descrição de um tempo interminável.

Tiago Moralles disse...

Boa descrição.

calvinfurtado disse...

curti. afudê mesmo.

Gabi Ramos disse...

Não tá afim de transformar esse em argumento de filme? Dá vontade filmar!

Tiago Moralles disse...

Gabi, será que filmado não ia parecer um pouco com Escafandro e a Borboleta?

Luna disse...

comentando o comentario.

escafrando e a borboleta é lindo.

Renata de Aragão Lopes disse...

Um dos mais tristes
que já li por aqui.

Assim como
"O Escafandro e a Borboleta"
é um dos filmes
que mais me abalaram até hoje.

Que nos fique,
como reflexão,
este trecho:

"Hoje vejo realmente
o quanto isso é verdade."

Precisamos da fatalidade
para enxergar, talvez, o óbvio?

Um grande abraço,
Doce de Lira

Tiago Moralles disse...

Luna, é bom né? Já leu o livro?
_

Delicadeza até nos comentários Rê?

Vivian disse...

...aí você fantasiou uma
situação,


aqui, eu vivo, ou seja,
vivemos ambos a dor real
de um AVC.

o deitar saudável e acordar
limitado, e com a certeza
de que nada somos diante
dos desígnios divinos.


bj, moço

Anônimo disse...

"e o gosto do teu beijo ainda está na minha boca."
Adoreei o post, viu?
Amanda.

Gabi Ramos disse...

Tudo depende da forma como vc filma.

Gabi Ramos disse...

Concordo com a Luna, é lindo!

Tiago Moralles disse...

Triste Vi.
_

Brigado Amanda.
_

Gabi, conversemos mais então hehe.

Tatá R. da S. disse...

Deve ser uma das coisas mais difíceis, se despedir de alguém assim.. Ou se despedir de si mesmo.
=**

Elisa disse...

que delícia de leitura. obrigada

Tiago Moralles disse...

Obrigado você por ter passado por aqui.

Barbara C disse...

E eu que quando olhei no Feed achava que você estava falando de AVC de novo rs...
Esse vc é mais que não?!


Bonito


beijos

Tiago Moralles disse...

Esse A VC vai um pouco mais fundo.

Elisa disse...

então esse A VC é tipo à vc (de para você)? ou fui eu que viajei demais? :P

bjs

Tiago Moralles disse...

Não viajou não, é um título dual mesmo.