Microconto #300

Vi tudo aqui de cima.
Do teto da igreja vazavam luzes,
do altar, preces,
e dos olhos da mamãe, lágrimas de saudades minha.

Microconto #299

Infelizmente o senhor não tem muito mais tempo de vida.
Ouviu?

Microconto #298

Pro Almeida, todo mundo parecia culpado na mira do 38.

Microconto #297

Devo terei algum problema.
Não era possível que eu não conseguiu regular direito essa máquina do tempo.

Microconto #296

Tento lembrar de você em meio a sombras do passado.
Mas tudo que consigo é um eclipse total do coração.

A visita de Angélica

1º ATO - ANTES DA VIAGEM.
Nossas conversas virtuais marcam minha inspiração.
Mais de uma hora por dia conectado em você.

2º ATO - VOCÊ VEIO. E EU VI.
As marcas de sol na sua pele.
Cento e sessenta e cinco centímetros bronzeados de desejo.

3º ATO - A ESTADIA.
Os diferentes costumes marcam a rotina.
Peças que não vimos, filmes que não assistimos e lugares onde não comemos lembram você.

4º ATO - VOCÊ VOLTOU.
Esse sotaque ao telefone marca sua ausência.
Dois mil trezentos e noventa quilômetros de saudade.

EPÍLOGO.
E começa a contagem regressiva do novo encontro.

Microconto #295

Depois que ela morreu foi fácil confessar o adultério.
O difícil foi explicar quando ela voltou pra tirar satisfação.

Microconto #294

Beijou a bochecha da mãe – estava macia.
Pegou a mochila, abriu a porta e disse adeus premonitoriamente.

Mi careta, su careta

Jogou confete e serpentina.
Jogou também as mãos pro alto.
Sambaram desengonçados a noite toda naquele carnaval fora de época.
Sozinhos na sala, ele e ela,
grudando papéis pelo corpo,
grudando sorrisos na cara,
grudando amores no peito.
Cedo pra dizer,
mas acho que daqui uns 13 anos quando ficarem de maior,
os carnavais não serão mais tão alegres assim.

Microconto #293

Vende-se coisas sem importância.
Tratar direto no asilo.

Microconto #292

Quer ser um bom aluno quando crescer,
ter emprego, casa, família e morrer dormindo.
Só que até lá, a ordem das coisas vai mudar.

Microconto #291

A rotina foi a essência e o veneno daquele relacionamento.

Microconto #290

A modernidade fez dela uma mãe menos presente,
dele, um pai muito liberal
e dos filhos, praticamente órfãos.

Microconto #289

Sentia o vento no rosto e com ele uma incrível sensação de liberdade.
Morar na rua também tinha seu lado bom.

Microconto #288

Levantou de manhã, olhou pro céu e pediu um dia bom.
Só não contava com a cacofonia divina.

Microconto #287

Mãos e bocas desconhecidas se tocaram no cinema.
No escuro ela ficou empolgada.
No claro ele ficou arrependido.

Microconto #286

O tempo que o corpo levou da ponte pro chão, foi suficiente pra se arrepender de tudo que fez na vida.
Inclusive ter pulado.