Mi careta, su careta

Jogou confete e serpentina.
Jogou também as mãos pro alto.
Sambaram desengonçados a noite toda naquele carnaval fora de época.
Sozinhos na sala, ele e ela,
grudando papéis pelo corpo,
grudando sorrisos na cara,
grudando amores no peito.
Cedo pra dizer,
mas acho que daqui uns 13 anos quando ficarem de maior,
os carnavais não serão mais tão alegres assim.

5 comentários:

Thiara Pagani disse...

Que bonito.
Gosto do colorido da serpentina.
E dos sorrisos expressados no texto.
Que alegria continue a mesma nos outros carnavais.

Ju Fuzetto disse...

Que esse brilho de sorriso bonito nunca se perca...

beijocas

Nanda disse...

Deu vontade de chorar...

bj!

Renata de Aragão Lopes disse...

A alegria está nos olhos...

Tiago Moralles disse...

Os carnavais não, mas as lembranças acho que sim.