Microconto #89

O trabalho dele se tornava cada vez mais pesado, menos rentável, e dessa forma, igual a todos os outros.

15 comentários:

Iasnara disse...

quando o fim é evitável.

Mauro Paz disse...

Duas histórias em uma só. É isso.

Tiago F. Moralles disse...

Uau, esse microconto foi longe heim?

Vagalume Corporation disse...

O pior é nem poder mais chamar isso de desilusão

Bailarina disse...

muito bom!!! ansiosa por mais!

Tiago F. Moralles disse...

Podemos chamar de realidade, o que acha?
_

Obrigado pela visita Bailarina, mais virão.

Mari disse...

Bom, vendo pelo lado positivo...ele ainda tem um trabalho hehehe...

Beijos!

Tiago F. Moralles disse...

Não tão positivo né Mari hehe.

Mônica [no estúdio da faculdade] disse...

Não tão positivo né?²

Beijos e parabéns por seu trabalho.

Tiago F. Moralles disse...

Obrigado pelos parabéns e pela visita.

Sinta-se em casa.

Microbeijo.

Mônica [no estúdio da faculdade] disse...

Estarei presente.

O micro que mais gostei foi o 65. Dentro desses animais que você não definiu, me sinto um deles.

Beijo.

Nayara Diniz disse...

Ele é bancário? Senti uma certa semelhança, hahaha.

Beijo

Tiago F. Moralles disse...

Ou publicitário hehe.

Priscila disse...

O nome disso é teleoperador. Junte à descrição destruição total da vida social e terás um funcionário da Atento.
hohohohohoho

Tiago F. Moralles disse...

Quantas profissões mais a gente consegue tirar desse contexto?