Coisas de casal

De uma hora pra outra a cama pareceu suportar perfeitamente os dois corpos. O que no fundo foi uma realidade ilusória, pois o ranger não se fazia mais presente, justamente porque os corpos agora tinham atrito entre si.

O som da noite voltava ao normal com seus carros, buzinas e sirenes. Os gemidos deixavam saudade até para o vizinho solitário do quarto ao lado que os usava como forma de companhia fictícia.

A bela visão do espelho desaparecera. Não havia mais imagem agradável como resposta ao mundo, daquele objeto que refletia um lindo e desnudo corpo de curvas, contornos e cores femininas.

A gaveta parece a de uma nova casa. Roupas e peças menores que despertavam desejos e excitações, não estavam mais lá, ocupavam agora uma mala a caminho de um lugar desconhecido.

A libido, enfim, acalmara os ânimos. Aquele vestido que desfilava propositalmente da sala para o quarto, do quarto para o banheiro e do banheiro para sala novamente, completando o ciclo de tortura e sedução, estava na mesma mala do resto das roupas.

As refeições tornar-se-iam mais caseiras. Os jantares românticos, as velas refletidas em olhares apaixonados e as taças com marcas atraentes de batom, ficaram somente para a memória.

O silêncio reinaria. As declarações escandalosas, os galanteios sussurrados e as provocações ditas com palavras escrotamente safadas, sumiram e deixaram prevalecer a ausência de ruído.

O relacionamento por hora, estará tranquilo. Ela foi refugiar-se daquela desilusão na casa da mãe, que sempre lhe aconselhou. Ele foi refugiar-se em goles de algum tipo de álcool, em estiletes sem cortes e comprimidos sem efeitos; não podia morrer, sabia que ela sempre voltava.

33 comentários:

* hemisfério norte disse...

:)

afinal
, a tradição ainda é o que era

gostei
bj
a.

Natalya Nunes disse...

É duro quando a paixão acaba, mesmo quando ainda resta o amor...

Estefani disse...

É só uma questão
De dia
Se hoje não a vê
Amanhã ou depois
De amanhã
Verá,
Mesmo que esse
Amanhã não
Seja amanhã
E sim o amanhã

Longe ou perto
Amor é amor
E pronto.

Lindo texto Ti. :)

Ah, não podia deixar de comentar do ranger da cama boas histórias pra se lembrar...hehe

Beijo

Tiago Moralles disse...

Valeu meninas.
É, parece que esse ranger da cama vai longe hoje heim?

Gordinha disse...

O ranger de camas + palavras escrotamente safadas!

É! Quando uma mulher abandona o lar, os pequenos detalhes devem fazer muita falta!

Resposta ao seu comentário no meu blog, hein! hahahhaah!

Bjo da Gordinha!
=)

Elzenir disse...

É triste o fim, seja ele qual for. Deixa um vazio...saudades da beleza de outrora. Belo texto, descontraído e muito realista. Bjs

Marcelo Mayer disse...

claro que volta. alguém precisa pagar as contas

♥ ♥ Eu disse...

Será q exitia amor...ou somente a paixão dominava o coração.

mil beijos!

Silvia Caroline disse...

Um dos seus melhores textos.


Se existir amor volta, se não fica por lá mesmo, a não se que o comodismo fale mais alto.

Mauro Paz disse...

Bravo.

Rapaz, teu texto tá ficando fino.

Abraço,

Pelos caminhos da vida. disse...

Sempre fugi da paixão, pois ela nunca será eterna como um amor.

Obrigado pela sua visita, espero que volte mais vezes.

beijooo.

Ludmila Melgaço disse...

Inevitável não me lembrar dos Paralamas "... lágrimas por ninguém, só porque é triste o fim. Outro amor se acabou..."

Que venham mais camas rangendo!
Amei o blog, tô seguindo!

Tiago Moralles disse...

Elzenir, Eu, Ludmila e Pelos Caminhos, sejam bem-vindas. Espero trocarmos mais que letras.
_

Valeu Silvia, Gordinha e Marcelo.
_

Pô Maurão, vindo de tu nem sei o que falar hehehe.

Abraços pessoas.

Fernando Segredo disse...

sorte do vizinho solitário

Daiana Geremias disse...

Comecei a ler e fui me apressando, daquele jeito que a gente faz quando o texto é bom e queremos saber como é que o cara vai conseguir amarrar o final. E vc conseguiu amarrar com maestria. Sensacional!

Natália Corrêa disse...

E então começa tudo de novo...

tem que esfriar pra esquentar. =D

Luna Cortez disse...

de que adianta tanta mobília né?

Maria Valadas disse...

Momentos de paixão que dão lugar ao vazio das almas-

Obrigada pela visita no meu " cantinho.

A beleza do erro puro do engano da imperfeição disse...

...e se ela não voltar dessa vez?

Victor Carvalho disse...

Que seja eterno enquanto dure. Posso estar falando de amor, ou do efeito do Viagra. Interprete à sua maneira.
Abração.

Vivian disse...

...cenas do cotidiano em
muitas 'quatro paredes' por aí.

você é excelente,
e eu adoro.

bj

Mona Lisa disse...

Olá

Obrigada pela visita simpática ao meu "cantinho".


Saudades do ranger da cama?!

Bjs.

Tiago Moralles disse...

Seguirei alguns conselhos hehe.
Mona Lisa, volte sempre.
Vi? Adoro essa pouca papa.
Beijos.

Barbara C disse...

No final sempre há a esperança ,de que ela volte ou ele ,a esperança de que nada acabou!

A Moni. disse...

Já tentei escrever algo parecido, mas parei no momento em que joguei fora a escova de dentes...

Bom...mas aqui, fica o riso garantido pela certeza do retorno!

Beijos!

Sonia Schmorantz disse...

É a rotina que faz tudo isso, pior que a gente sabe tudo isso, todos falam, mas a acomodação é tão grande que torna-se normal...e ainda há isso, até as eternas voltas deixam de ser novidade, rsss
Um abraço

Tiago Moralles disse...

Cada repetição é uma novidade.

Sonhadora disse...

Gostei do texto.
obrigada pela sua visita...espero que volte
Um beijo
Sonhadora

Rai disse...

Espero nao ter que roubar tuas palavras nos próximos dias...

Tiago Moralles disse...

Valeu Sonhadora.
_

Como assim Rai?

Felipe A. Carriço disse...

A cama não sofre, o café não esfria e o amor prevalece no vazio repartido.

Talita Prates disse...

penso que muitas voltas
acontecem
não por amor,
mas por falta de opção.

:S

M.Bjo, Ti.

Rai disse...

Minha vida, hoje... é isso.

Foda, hein TF?