O que ficou de ontem

Depois de encontrar, depois de conversar, depois de provocar, depois de ver, depois de mostrar, depois de ouvir, depois de falar, depois de ler, depois de escrever, depois de querer, depois de desejar, depois de imaginar, depois de pensar, depois de acarinhar, depois de beijar, depois de tocar, depois de suar, depois de excitar, depois do prazer,
depois do tesão,
depois de mim,
depois de você,
depois de tudo.

O que ficou foi lembrança.
Escorrendo na mão,
simples,
branca e
quente.

30 comentários:

Natalya Nunes disse...

Inspiração vinda de um tal Soneto de Separação de um cara aí chamado Vinicius?

Você e suas postagens quentes, hein, Ti!

Estefani disse...

Depois deste ontem...
Restam lembranças
E sobram vontades.

Beijaço!

Iasnara disse...

gametas encadeiados nas vírgulas da respiração... o "nós" sujeito de verbos soltos, adoro isso.

;)

Marcelo Mayer disse...

hahahahahaha
ótimo desfecho

Joie disse...

Adorei o texto.
Muito Obrigada por sua visita e comentário!

Beijo
Joie

Desnuda disse...

Olá, Tiago!

Diria que a inspiração é do inconsciente coletivo e somos parte dele. Daí este belo poema seu.

PS* Este fogo não se apaga, é contínuo. Quando se extingue fisicamente, continua crepitando nas lembranças.


Obrigada pela visita! Beijo

Tiago F. Moralles disse...

Bons comentários.
É aí que mora o prazer de escrever.
Não confundam com o prazer para escrever hehe.
Valeu pessoas.

Felipe A. Carriço disse...

Depois disso tudo resta apenas um vazio.

A beleza do erro puro do engano da imperfeição disse...

Uma punheta pensando nela, simples assim! Te deixaram na mão camará...ahahaha

Victor Carvalho disse...

Não sei por que, mas lembrei da minha adolescência. Mentira. Eu sei por que.

Nayara Diniz disse...

"Se eu te peço pra ficar ou não
Meu amor eu lhe juro
Que não quero deixá-lo na mão
E nem, sozinho no escuro..."

Barbara C disse...

Textos sensuais e quentes e otimos como sempre!!!

Luciane Slomka disse...

Adorei! Ele vai num crescente bonito, real, forte. Muito bom!

Tiago Moralles disse...

Lembranças em uns, realidades em outros.
Queria só provocações. Meu Deus. Onde vamos parar com os prazeres literários?

suecosta disse...

Pena que depois de lavada, nem nas mãos restaram mais as lembranças, lembrarei-me de passar aqui com mais frequência.

bia martins disse...

Um sentimento sem lar...

bia martins disse...

a nº 100 =)

bjo meu!

Tiago Moralles disse...

Volte sim Sue.
_

Olha Bia, que privilégio. Meu, claro.

A Moni. disse...

Foi bom pra você???
rsrs

Lembranças também desembocam no ímpar...

Beijos

Fernando Segredo disse...

A mão que nunca abandona o homem.

Luna Cortez disse...

eu nem vou dizer o que pensei Tiago...

rs

minha mente é deveras poluída.

Dandara disse...

Esse é o tipo de texto que eu não sei se é ficção.
Quero esse tanto de depois também, e acordar com uma lembrança quente, respirando do meu lado.

Talita Prates disse...

"Nó"!

Microbeijo, Ti.

Renata de Aragão Lopes disse...

Excelente!
A realidade de hoje é úmida.

Tiago Moralles disse...

Muito ímpar Moni.
_

Fernando meu velho, o homem e seus trabalhos manuais.
_

Luna, tudo bem, todo mundo pensou a mesma coisa hehe.
_

Dandara, essa dúvida que não quer calar.
_

Tá e Rê, lindas.
Obrigado.

Adriana Gehlen disse...

ai ai ai ui ui
colarei isso numa janela de msn alheio.

Gessica Borges disse...

Wow!
Às vezes, você parece um velho escritor, velho mesmo. Daqueles que, depois de tanto, só sente prazer nas palavras...

Beijo!

Ianê Mello disse...

Muito bom...principalmente o desfecho.

Se nenhum pudor...

Beijos

Janaína disse...

cara, tu é foda.
consegues transformar uma punheta em algo belo.
nice.

sou tua fã.

Tiago Moralles disse...

Gostou Jana?