Microconto #204

Aquele vidro também era a prova de amor.

O máximo que consegui dela foi só o nome, e ainda por causa do crachá dedo duro.

24 comentários:

A. disse...

muito bom, muito bom!

Natalya Nunes disse...

Isso acontece tanto na vida real.

Tiago Moralles disse...

Contas a acertar na vida.
Valeu.

Barbara C disse...

crachá ''dedo duro'' ai ele chega pra ele]a e diz seu nome e ela na maior falta de atenção ,pensa nossa como ele sabe ...

Viajei aqui como sempre

bjs

Sylvia Araujo disse...

Poxa, não entendi o vidro. Adorei o crachá dedo duro.

Beijoca, rapaz

Matéria Escura disse...

Se quiser flertar tem que preencher o formulário roxo. rsrs

esse mundo burocrático só fode com a gente.

Tiago Moralles disse...

Boa Ryan hehe.
_

Barbaram viajar é sempre bom.
_

Sylvia, o vidro é sempre a prova de balas, esse também era a prova de amor hehe.

Rodrigo Garcia disse...

Como os impedimentos aprofundam as coisas...

Às vezes se consegue tudo, menos o nome!

-blyef disse...

Me lembra um video que já vi, se chama draw with me. Sempre um vidro impedindo a felicidade das pessoas.

Lara Amaral disse...

Ser à prova de amor é sempre mais fácil do que aprovar o amor-vislumbre; não é fácil colocar esse sentimento para ser provado.

Interessante seus mil sentidos num textinho.

Beijo.

Tiago Moralles disse...

Sempre os impedimentos.

Podexá, vou procurar esse vídeo aí.

V i h disse...

Mas se o vidro não existisse, ele daria atenção ao crachá dedo-duro?

Tiago Moralles disse...

Aí seria um microconto para o pobre do crachá dedo-duro hehe.

_JeHh_ disse...

Muito bom! Gostei!
Está cada vez mais dificil se aproximar das pessoas hein! Se não fosse o crachá dedo duro...

Tiago Moralles disse...

Brigado pela visita Jeh.

quandoeumechamarsaudade disse...

Ti,

Talvez o encontro desse aí se torne fictício também...hehe
Lembrei do seu texto! ^^

Beijo!

Erica Ferro disse...

Oh, pelo menos o nome você soube, né?
Um viva para o crachá! =P

A Moni. disse...

Tem umas distâncias que são tão próximas, que me assustam ainda mais...

Tiago Moralles disse...

Puta merda Fã, o conto que foi publicado né? Olha as coisas se amarrando aí.
_

Viva o crachá Erica.
_

Moni, isso assusta mesmo.

Microbeijos.

Luciano disse...

Ah se não fossem os crachás, algumas vezes.
Sempre bom passar por aqui, meu caro.
Adicionado na lista do conferindo de perto, lá do Gergelim.
Abração.

Ella disse...

Ah, esses amores Breves...

Tiago Moralles disse...

Sempre feliz pela sua visita Luciano.
_

Ella, se me permite parafrasear, amores breves e brutos.
Microbeijo.

Felipe A. Carriço disse...

Caramba... qual era o nome da empresa no crachá?

Um telefonema resolveria este impasse.

Renata Levy disse...

poucas palavras que descreveram um cenário com infinitas possibilidades