Te conto em uma licença poética

Ah, suas mãos.
Te digo.
Como é diferente esse toque do que já foi um dia.
Te peço.
Fica mais um pouco e faz o que quer que seja.
Te quero.
Suas mãos são pouco pra excitação do agora.
Te olho.
O que você faz obedece uma lógica não linear.
Te toco.
Sua pele mesmo arrepiada não perde a maciez.
Te aperto.
Sua voz, suspiro e gemido se confundem em minha mente.
Te bato.
Sua cara não apresenta repressão.
Te mordo.
Suas costas não demonstram devoção.
Te molho.
Meu suor gruda na sua degustação.
Te xingo.
Seu nome se perde em palavrões.
Te excito.
Entramos em transe consequente mesmo antes da transa.
Te cuspo.
Os fluidos se misturam num ritual infanto-masoquista.
Te falo.
Com o corpo em espasmos naturais.
Te dispo.
Enfim toda sua pele reflete em meus olhos.
Te mostro.
Dentro e fora a casca da paixão.
Te penetro.
Os corpos ainda lembram o ritmo.
Te como.
O amor perde a vez.
Te violo.
Somos duas massas atrás de prazer.
Te jogo.
Meu corpo te encontra novamente por atração.
Te seguro.
Aproveito da sua indiferença.
Te gozo.
De uma paixão rendida e um retorno ilusório.
Te imagino.
Como se fossemos reatar.
Te acabo.
Já com saudades no coração.
Me acabo.
Em uma solitária masturbação.

17 comentários:

Ludmila Melgaço disse...

Foi até bonito, juro.

Maria Rita disse...

O puro prazer de pecar me faz querer ficar pra ler mais de suas escritas.

beijos moço...

Por que você faz poema? disse...

O desejo sempre desagua em algum lugar.

Lívia Azzi disse...

Gostei dessa mistura crônica de palavras e versos...

"uma paixão rendida e um retorno ilusório". Às vezes as metáforas são muito mais intensas do que a realidade...

O que toda mulher deseja é ter sua imaginação despertada, para se render e se entregar de corpo e alma! E aí... é a mistura perfeita do real com o ideal!

Beijos e boa semana!

Barbara C disse...

Me pareceu uma recaída emocional com um ex-romance.
Faltou só Te amo se é que existe.

Adorei

Beijinhos.

Felipe Carriço disse...

"Nada do que foi será de novo do jeito que já foi um dia."

A saudade tem dessas coisas. Ela amplifica sensações, mas nada que você mesmo não se possa "dar uma mão".

Vivian disse...

...cuitadinhuuuuuuuu!
rsrs

bj, querido!

saudades de você!

Casa de Mariah disse...

denso, tenso e intenso.

Tiago Moralles disse...

Obrigado pessoas queridas, desculpem a demorar em responder, um pouco ausente por motivos de saúde.

Lucão disse...

covardia!

Renata de Aragão Lopes disse...

Não foi em vão...

Natalya Nunes disse...

O Ti e a sua ousadia, sempre tao cheia de poesia.

Sou tua fã, rapaz!

Beijos e melhoras! =)

Tiago Moralles disse...

Melhoras computadas Naty, valeu.

Bruno Philippsen disse...

Poeta, baita texto! Ótimo ritmo. Os versos com duas palavras dão uma quebra que ficom muito legal! Abraço!

Tiago Moralles disse...

Vindo de ti é sempre uma grande elogio rapaz.
Microabraço Brunão.

Leo Saito disse...

Volta pro trabalho e sai da punheta rapaz.

Abç e melhoras,

Tiago Moralles disse...

Ah, Leo, queria eu estar inspirado pra escrever esses dias, minha sorte é que os textos já estavam programados desde semana passada.

Valeu e abraços.