Microconto #309

Sentiu um forte cheiro de terra molhada
quando acordou já dentro do caixão.

13 comentários:

Pedro disse...

Seu espírito natalino está uma beleza, hein! rs...

Brincadeira a parte, os microcontos estão ótimos! Como sempre, aliás...

Lija disse...

Sem palavras.*

*Seria muita babação dizer que acho o que você escreve genial.

Veronica Rodrigues disse...

Fazia tempo não passava por aqui. Mas adoro ler aqui.

Ju Fuzetto disse...

Engolir a terra sem poder gritar... já que a vida fora consumida em um sopro.



micro beijo ti

Tiago Moralles disse...

Valeu Pedro e Lija ; )
_

Vê, passe sempre que sentir vontade. A recepção será a mesma.
Microbeijos.

Renata de Aragão Lopes disse...

Deus nos livre! : )

mais amor, por favor. disse...

morte.

Michele P. disse...

Parece que foi uma síntese para o meu conto "O Grande finale!" kkkkkkkk


Se tiver saco e tempo, confira.
http://profmieseusdesvaneios.blogspot.com/2010/12/morrer-pode-ser-divertido.html#links

Beijos

Tiago Moralles disse...

Verei sim Mi.

Wilson Torres Nanini disse...

Cruel, muito cruel!

Abraços!

Tiago Moralles disse...

Ow Wilson obrigado pela presença.

Laura K. disse...

Antes uma morte rápida do que uma longa vida preenchida de sofrimentos, eu acho.

Gabriela Marques. disse...

Pensando por este lado, tenho medo de partir. Se for para ir, que seja rápido, sem rodeios. Nada de caixão, choro ou chuva molhada.