Microconto #348

Pelos ruídos no quarto ao lado tinha certeza que o vizinho era bem mais feliz.

8 comentários:

Marcelo Mayer disse...

Droga!

Por que você faz poema? disse...

Apenas pelo HOME THEATER SYSTEM Subwoofer surround da TV dele - parecia muito real.

Cristóvão Júnior disse...

Genial!
Grande mestre da arte de microcontar, a ti minha devoção.
Olha só, escrevi hoje um, com uma nuance rimada. Preciso da tua condescendência.

Luana Almeida disse...

Tadinho, judiação de mais.

Flores!

Tiago Moralles disse...

Gosto dessa subjetividade, cada um pensa no que quer do outro lado da parede.

Luana Almeida disse...

Pensa e age da forma que quer.
hahaha'

Flores!

jair e. disse...

E ele estava enganado. Aquelas moedas todas que tilintavam do outro lado, além de não serem de ouro ou prata, tinham perdido o valor desde os tempos do Collor e da Zélia. O vizinho do hotel vivia no passado, deixava o tempo que lhe restava escorrer por entre os dedos; um tempo sem qualquer valia, como aquelas moedas tilintantes...

Cynthia Osório disse...

Malditos vizinhos mentirosos! rsrsrs