O bom não é só a história

Eu gosto de anúncios com histórias, não que estejam entre meus preferidos, mas quando bem contada e deixando claro o conceito, são interessantes. Coloco aqui alguns exemplos de anúncios desse tipo, tudo bem, eu sei que este último é grande, mas é com boa intenção.
.
.
.

Caçadores de sombras

.

.
Minha intenção era ver a exposição “Caçadores de Sombras” em cartaz no MASP até 29/02. Uma reunião de 92 belas imagens feitas por 16 artistas espanhóis que segundo a curadora Rosa Olivares, "tem o objetivo de demonstrar que a fotografia já não fotografa somente o que sucede, mas também o que pode suceder, o que já sucedeu e o que talvez não ocorra nunca", isso, não fossem dois fatores extras que prejudicaram de certa forma a visita. O primeiro em minha opinião foi que por alguns problemas de disposição e iluminação as obras acabaram sendo prejudicadas em alguns detalhes, bem como a vídeo instalação.

Um segundo fator que pôde ser considerado em problema para essa exposição e ao mesmo tempo um diferencial para outra, foi a mostra do trabalho de Tatsumi Orimoto que vai até 06/04. Em uma grandiosa junção de mais de mil obras ele retrata seus 40 anos de carreira com situações que podem ser consideradas estranhas e por vezes constrangedoras, sem falar do uso de sua mãe, vítima de Alzheimer, nas obras; o que Orimoto quer na verdade é incluí-la no contexto de sociedade a qual ela estaria predestinada a exclusão.

As duas exposições são interessantes, uma por suas belas fotos e a outra por sua diferente adaptação de culturas e costumes, mas continuo achando que a disposição, iluminação e projeção de os “Caçadores de Sombras” comprometeram um pouco a abordagem.

Precisa explicar?

.

.
Vivemos em uma sociedade que se priva da criatividade ou que não tem interesse em pensar para fazer as coisas? Acham que todos já estão sucumbidos pelo consumismo e assim, muita gente passa uma informação por passar, sem se importar como o receptor vai entender.

Semana passada, fui atingido (visualmente) por um dos monitores multimídia nos trens de São Paulo, com a seguinte notícia escrita, “Novo localizador ajuda a encontrar coisas.”, aí fiquei me perguntando, será que realmente precisava explicar?

Tarô, búzios e cartomagia

.

.
Ouvi recentemente uma expressão interessante no meio político sobre um novo cargo, Ministro do Futuro, aí fiquei me perguntando, quem será o bem sucedido, informado e vulgo bruxo que tomará conta do ministério? Será a sumida Mãe Dináh com suas previsões ou será nosso ilustre cientista maluco Emmett L. Brown com sua experiência na área? Façam suas apostas.

Jesh e Juan, oportunidades

.

.
Há alguns dias coloquei um link aqui no PENATES sobre um artista contemporâneo, Jesh de Rox, comentado no Psicodélico.a. A home exibe seus trabalhos (fotografias) belíssimos, o site te envolve em uma gostosa magia com um belo conjunto visual e uma boa música (não sei quem canta).
.
Isso tudo é só para comentar de outro artista que também coloquei o link aqui
(esse mais recentemente) no PENATES, Juan Francisco Casas, artista plástico espanhol que faz ótimas reproduções a óleo e pasmem, caneta Bic, isso mesmo, ele manda muito com uma caneta na mão. Assim como Gerry Philips, que a partir de um viral virou garoto propaganda da marca de tênis Volleys na Austrália, Juan além de talento, pode ser considerado também uma oportunidade no mercado.

4 meses, 3 semanas, 2 dias e mais 1 Tic Tac

.

.
Mesmo tema sim, porém, atmosferas totalmente opostas. A começar pela própria filmagem, de um lado o poderio “Hollywoodiano” e do outro a falta romena que não deixa a desejar. As personagens Otilia e Gabita vivem uma situação paralela a primeira cena, onde peixes, habitantes corriqueiros de aquários, almejam um bom futuro.

Com diálogos sempre fechados e câmeras manuais em cenas externas, o drama (que por sinal, drama mesmo) consegue reter a atenção de forma trágica e realista. Diferentemente de Juno, o diretor Cristian Mungiu dá ao problema da gravidez indesejada um outro final (não aconselhado aos fracos de estômago).

Agora, outra coisa que é comum a ambos os filmes, mesmo com todos os conflitos, os altos e baixos das tramas e com certeza tem um dedinho de merchã é o Tic Tac de laranja que estava lá firme e forte.

Publicitário não

Recebi um texto que achei legal e me identifiquei com algumas das coisas ditas, as outras me fizeram lembrar de alguns amigos que vivem dizendo por aí. Alguns jargões da profissão e outras observações engraçadas. Aqui está, um pouco diferente do original, fiz algumas modificações e acrescentei mais algumas coisas.
.
Publicitário não corta, refila.
Não come, degusta.
Não dirige, faz test-drive.
Não conquista, persuade.
Não tem lista, tem mailing.
Não copia, pega referência.
Não pensa, tem brainstorm.
Não pergunta, faz pesquisa.
Não tem destino, tem target.
Não toca, examina o design.
Não dá pra coisa, tem feeling.
Não ouve barulho, e sim ruído.
Não cheira, sente a fragrância.
Não lê, decifra o código textual.
Não conta história, vende idéia.
Não tem idéia, tem puta sacada.
Não tem memória, tem repertório.
Não vê outdoor, vê mídia exterior.
Não fala, envia mensagem verbal.
Não escuta, decodifica a mensagem.
Não ouve música, ouve trilha sonora.
Não procura endereço, procura praça.
Não dá a resposta, cria outra pergunta.
Não recebe resposta, recebe feedback.
Não vivencia, pra ele é marketing de experiência.
Não falece, é seu ciclo de vida que chegou ao fim.
.
Dica do assunto (Patrícia Boccuzzi)

David Lynch

Descobri o motivo de David Lynch ser considerado um mestre do cinema, ele faz filmes tão entrelaçados que se acabar em qualquer parte não faz mesmo nenhuma diferença.

Juno, será só comédia?

.

.
Outra indicação de um filme bacana. Posso dizer que não me parecia atraente, não estava interessado em assistir e ainda que não tivesse achado legal o cartaz (como foi feito uma votação no Brainstorm#9), porém, as circunstâncias me fizeram cair de frente com ele e pensei, por que não encarar, afinal, recebeu até indicação no Oscar 2008 para a categoria melhor filme (que aqui não vou criticar, pois ainda não vi os demais).

Bem, assisti e confesso que gostei muito da atuação de Ellen Page no papel de protagonista, principalmente quando ela morre no meio do filme sem explicação (brincadeira), voltando, uma ótima representação com um belo roteiro de “Diablo Cody”, a nova queridinha da América. Para não aprofundar em explicações a ponto de virar uma sinopse, deixo sim aqui, mais essa dica. E por falar (escrever) em dica, vou assistir “4 meses, 3 semanas e 2 dias” que trata sobre o mesmo assunto, gravidez na adolescência, mas, com visões diferentes.

“4 meses, 3 semanas ...” retrata o aborto nos últimos dias do comunismo na Romênia sob o regime de Nicolae Ceausescu no final da década de 80, assunto que também está em um livro já comentado aqui
no PENATES. Com uma abordagem diferente, mais pesada e agressiva, espero que esteja na mesma linha, quanto ao contexto, claro, fica um pouco complicado comparar comédia e drama (não necessariamente nessa mesma ordem). Cada um no seu gênero, com as devidas proporções e, sal na pipoca.

O feitiço virou a favor do feiticeiro

.

(Foto UOL)
.
Desculpem-me os Democratas de coração, mas, minha opinião na "bruxaria" da política é essa, o criador sempre desrespeita a criatura. Como a Sra. Mãe diz – “Faça o que eu digo, não faça o que eu faço”.

Viva o Mouse

.

.
Essa semana algo em torno de dois bilhões de pessoas em todo o mundo, considerando chineses, vietnamitas e coreanos bem como suas comunidades fora da terra natal, despediram-se do Ano do Porco e saudaram o Ano Rato. Animal símbolo da inteligência e da prosperidade para esses povos, o rato dentre os demais 11 animais do zodíaco chinês, como diz a lenda, foram as únicas espécies a se despedirem de Buda antes dele deixar a vida na Terra.

O Roedor, diferentemente dos significados atribuídos no Ocidente, é tão considerado pelos chineses, pois além de ter se despedido de Buda, foi o primeiro a chegar, montado em um Boi que foi o segundo a se despedir.

Como o papo está cheirando a queijo, alguém consegue lembrar de um camundongo famoso? Pois é, ele também lembra de todos. A Walt Disney, criadora de um dos ratos mais conhecidos do mundo, Mickey Mouse, começa a utilizar dessa mobilização de quase ¼ da população mundial para iniciar mais uma mega ação.

Tanto Mickey como sua simpática namorada Minnie, podem ser encontrados em vários lugares no Oriente, em lojas de jóias como pingentes, lojas de objetos decorativos e até andando em trajes tradicionais, principalmente na Disneylândia de Hong Kong. Dentre as ações para fidelização e manutenção da boa imagem da marca, o parque em nota, prometeu ao primeiro menino e menina que nasceram nesse novo ano que iniciou, ingressos gratuitos vitalícios.

Tudo bem que as crianças deram sorte, eu aqui sempre quis conhecer a Disney e eles já nascem praticamente dentro dela, porém, mais sorte mesmo tem a Disney, imagina, uma brecha para ações oportunistas é o que todos esperam, agora, um ano inteiro de brechas, isso mostra que realmente é o Ano do Rato.

Desculpas

Quando ocorreu aqui em São Paulo o incidente no qual, duas obras roubadas (agora já recuperadas) do MASP, citei no PENATES e acusei com eufemismos, ironias e algumas calúnias ao povo brasileiro, disse que nós, num olhar quase geral, não nos importávamos com cultura e que pouco reconhecíamos a arte.

Nessa quinta-feira, 07, na Suíça (primeiro mundo), também foram roubadas duas obras do Centro Cultural, obras essas emprestadas pelo Museu Sprengel. Os dois quadros dessa vez pertencem ao mesmo artista, Pablo Picasso (contorcendo-se no caixão), as obras pictóricas são "Tête de Cheval" (1962) e "Verre et Pichet" (1944), ambas à óleo. Tudo bem que esses tipos de furtos não acontecem com tanta freqüência, o maior roubo no país foi em 1994, onde os ladrões levaram sete obras que foram recuperadas posteriormente.

Por esse motivo, quero deixar aqui, minhas desculpas formais por ter acusado grande parte do povo brasileiro de “desaculturado” e desinteressado, afinal errei dizendo isso, não somos só nós.

PENATES

.


Bem, como a casa aqui é democrática, todos podem falar o que sentirem vontade só não garanto que vá para o ar (brincadeira). Tenho recebido um ou outro e-mail perguntando, por que PENATES? Então farei algumas explicações, já que a primeira aparição não deixou tão explícita a origem; bem, primeiro que o nome do Blog é TFMORALLES, uma maneira mais fácil de divulgar, afinal todas as minhas formas de comunicação on-line são assim.

O Blog surgiu com o intuito de disseminar e propagar alguns pensamentos, reflexões e até devaneios desse que vos escreve. O nome como o primeiro texto explica, surgiu de uma loucura; precisava de alguma coisa e como de nomes pensados o mundo está cheio, preferi fazer diferente, resolvi não pensar e ver o que saia. Abri um dicionário e lá estava, o primeiro nome que saísse seria escolhido (claro, mantido os devidos conceitos).

PENATES, do latim Penátes, eram os deuses entre os romanos responsáveis pelo lar, achei que tinha um sentido interessante. Da mesma forma que os romanos tinham deuses para proteger seus lares, resolvi assim, dar ao TFMORALLES uma maneira de proteção (nada a ver com superstição). Agora pense bem, poderia ter caído em uma página qualquer do dicionário, com outro nome qualquer, ou mesmo até nomes próximos como: penamar, pencó, pencudo ou pé-na-cova, imagina, Pé-na-Cova, já começaria um Blog por baixo, literalmente.

O super Super Bowl

.

(Cena do comercial da Victoria Secrets)
.
Glendale (Arizona), todos os olhares voltados para um só lugar. Patriots vs. Giants, com ingressos iniciais a U$ 2,5 mil e os mais altos ultrapassando U$ 15 mil. Mais de 130 milhões de telespectadores e o Super Bowl atrai todos para momentos de grande expectativa. Durante a final, algo em torno de 14 toneladas de hambúrgueres foi consumida e 5 toneladas de batatas fritas, foi mais ou menos assim que os Estados Unidos se prepararam para mais uma final histórica do futebol americano.

Pronto, é chegada à hora tão esperada, uma temporada inteira na espera desse momento; o intervalo comercial. Um dos espaços mais caros da publicidade mundial, aonde uma inserção de 30 segundos chega a custar U$ 3 milhões, isso mesmo, U$ 3 milhões, e você pensava que anunciar no intervalo da novela da Globo era caro? Tudo bem que o Giants teve uma ótima apresentação, mas não é sobre isso que nós vamos falar.

A Fox teve a transmissão da final do 42º campeonato da NFL (National Football League) com os intervalos mais caros do mundo, uma briga de criatividade para quem usará da melhor maneira a verba disponível para mídia. O Youtube tem uma
Home feita especialmente para a apresentação dos vídeos que após irem ao ar foram postados para uma votação dos melhores entre os internautas.

Dei uma olhada por lá e do meu ponto de vista, a Pepsi levou uma ligeira diferença, nada muito surreal e nem de mega exibições, mais por causa de alguma ousadia e simples criatividade, apesar de a Anheuser-Busch com a Bud Ligth ter entrado com 6 comerciais, isso mostra porque muitas vezes “menos é mais”. Agora cabe a você ter sua escolha.

Discussões

Alguns posts atrás, comentei a respeito de repetir ou inovar, assuntos que como esse não faltam para serem comentados dentro da publicidade, podemos colocar por exemplo em questão, os anúncios polêmicos, ousados, grotescos, espertos, sutis, entre outros muitos.

Estava até me afastando desse assunto de discussão sobre conceitos, idéias e formas de abordagem, até que me aparece um comercial da Nike, também comentado no Comunicadores de Plantão
. O comercial é sobre uma nova chuteira e visa a leveza como conceito, o vídeo mostra cenas tensas até o tão aguardado desfecho, que para alguns é horrível. Ele traz à tona todas as idéias e desperta em mim novamente a vontade de comentar sobre as discussões (como se eu não gostasse).

Vamos mais uma vez deixar claro que quando discutimos não colocamos a prova o trabalho dos criativos nem avaliamos suas qualidades, simplesmente debatemos referente aos temas abordados e suas formas de expressão.

Aqui está o vídeo da Mercurial V4.

video

Segue agora uma seqüência de anúncios de arquivo pessoal na qual fica interessante debater sobre os estilos adotados. Este da Youth Aids em combate a doença. Sutil ou explícito?


Outro também em combate a Aids, da AIDES. Ousado?


Cuecas Mash, abusado ou não?


Peta, com o texto “Aqui está o resto do seu casaco de pele”. Forte ou necessita ser direto assim mesmo?


Vupt, internet sem fio. Grotesco (não no sentido kitsch, mas, na idéia de te colocar a uma reflexão)?


PlayStation como sempre irreverente, será que é muita ousadia a ponto de fugir um pouco do conceito do produto?


Greenpeace, com seu ideal de chocar sempre para motivar uma reação em favor de suas causas.


E por último (eu sei que tem gente que não gosta de ver este, mas, até hoje não me decidi se é angelical ou macabro) um anúncio do McDonald’s feito para a abertura de uma nova loja na Índia.


Uma coisa é certa, independente da escolha do tipo de apelo, o que vale mesmo é a boa criatividade estar sempre em alta e bem valorizada.

Hoje é dia de pizza

.

.
Dizer uma coisa falando outra, apresentar o certo mostrando o contrário e buscar o tangível vendendo o intangível, isso tudo resumido em, uma puta sacada. Publicitário segue mais ou menos este lema, se sei digo que sei e se não sei digo que sei do mesmo jeito, o importante é os outros acreditarem. Brincadeiras de lado, podemos dizer que os Publicitários são o lado bom dos Sofistas, devem falar de qualquer assunto, devem saber de tudo um pouco para assim, venderem o que precisam e o que os consumidores acreditam precisar, afinal, “não importa o que você diz e sim o que os outros entendem”. 1º de Fevereiro, dia do Publicitário (essa profissão é “du caralho”).