Irreversível

.
.
Contado de trás pra frente, no melhor estilo Amnésia de Christopher Nolan, Irreversível consegue ser bem diferente disso.

Aqui vão duas coisas importantes, a primeira pra você se sentir interessado no filme e a segunda pra você desistir dele:

o filme é bom, mas exige estômago.

Porém, se eu fosse você, deixaria a primeira opção falar mais alto.

Com longas cenas que dispensam cortes, com uma câmera maravilhosamente nauseante e otimamente interpretado por Vincent Cassel, Albert Dupontel e Mônica Bellucci, os 3 protagonistas, o filme vale muito a pena.

Posso destacar algumas cenas que, com certeza, ficarão na sua cabeça depois da projeção: o estupro, a briga com o extintor e a sequência pelos corredores da boate gay, que antecede a briga. Isso sem falar dos diálogos e a cara de filme noir, em seu estilo básico da variação francesa de “novela escura”.

Não tem muita coisa fora isso pra falar sem estragar algum ponto da história, além do mais, Irreversível é um filme muito visual, sensorial, psíquico e gratificante.

8 comentários:

Mauro Paz disse...

Grande filme: história, fotografia e a Mônica, que já vale 2h na frente da tela. Abs.

Tiago F. Moralles disse...

Ah,
Mônica.

Marcela disse...

Pode me chamar de franguinha, mas eu fechei os olhos em várias cenas...;). Mesmo assim, é um filme excelente.

Tiago F. Moralles disse...

Pode me chamar de sanguinário, mas eu voltei várias cenas hehe.

Kenzo Kimura disse...

A cena do extintor confesso que voltei pra assistir. A do estupro, não.

Tiago F. Moralles disse...

Se eu confessar que voltei todas elas fico muito Serial?

pitombo disse...

Não,sanguinário, não Tiago e sim com um estômago de aço...é que o filme é muito bom, as atuações estão perfeitas e a ação é angustiante...Pattricia

Tiago F. Moralles disse...

Me senti melhor agora Patty. Valeu pelo conforto hehe.