Cena do Crime - Capítulo 5/5

Três dias depois foi o enterro do militar morto no confronto.
E, enquanto o caixão descia, mais um grito de justiça não foi ouvido.

14 comentários:

petrucian disse...

não entendi, deve ser porque não li.
oi, tudo bem? e a maconha que deixei ai na sua casa? vou ai pegar na sexta. espero que não tenha consumido tudo né. beijos

Tatá R. da S. disse...

Ninguém se ouve.
Saudade dos seus mini roteiros grandiosos conteúdos.
=*

Ju Fuzetto disse...

Um grito interno. De quem ainda não entende sobre certas coisas do mundo. Eu sempre me surpreendo. A morte nunca é aceita. Por ninguém.

micro-beijo rs Ti, bom findi!!!

Tiago Moralles disse...

Caro Petrucian, com certeza você não entederia mesmo. Acho que deve ser esse excesso de drogas, não acha?
_

Brigado pela audiência meninas.
Microbeijos.

Vivian disse...

...e assim segue a vida,
seguimos nós sem perspectiva
de melhoras.

ou estou errada?

bj, lindeza!

Nanda disse...

Justiça? Isso ainda existe?

beijo!

Sakana-san disse...

Poucas e boas palavras. Como sempre, sempre muito bom.

Tiago Moralles disse...

Saudade de ti Saka.
Como anda a saúde?
Microbeijos.

Thiara Pagani disse...

Justiça, peça de museu.

Renata de Aragão Lopes disse...

Justiça seja feita:
sempre bom ficar
na expectativa
por aqui! : )

Beijo,
Doce de Lira

Rafael disse...

Não entendi muito bem, mas gostei, haha
Abraço

vanessa formigoni disse...

Querido, apesar de eu não comentar muito, todos os dias eu entro aqui pra ver o que você escreveu.
Fantástico cena do crime, adorei, alias, tudo que vc escreve é bom, mas esse eu gostei mais ainda.. Talvez por que se trata de algo relacionado a sociedade, e isso sempre me chama a atenção, parabéns e estou esperando pelo próximo.
Beijos.

Tiago Moralles disse...

Rafa, não é uma história com começo, meio e fim, é apenas um recorte de mais uma cena de impunidade, só.
Valeu pelos comentários.
_

Vã, essa é a 4ª edição, se não me engano, chegou a ler as outras já? Se não, clica na categoria de "Microdramas" abaixo do post.
_

Thiara e Rê, justiça é um grito de mudos. A justiça normalmente não ouve.

Emmerson Barcellos disse...

O silêncio da Morte é o grito mais freqüente de justiça.

Excelente microdrama, Tiago.
Estou acompanhando.

Abraços!