Microconto #278

“Fui comprar cigarros. Papai te ama.”

Ela chora enquanto lê,
e uma lágrima molha o papel,
hoje, amarelado.

16 comentários:

Fernanda Hauptmann disse...

Uma maneira mais bonita de escrever o velho!
Muito bom :)

Sandra Botelho disse...

E nunca mais voltou.O meu saiu um dia quando eu tinha tres anos e não voltou nem pra enterrar mamãe que morreu dois anos depois.
As vezes acho que ele não tinha, nem tem coração.
Nunca mais deu noticias.
Nos deixou orfãos jogados ao léu. Nas mãos de Deus.
Isso é triste e causa magoas profundas.
Desculpe o desabafo, mas me lembrei dele.
Bjos achocolatados

Lúu Almeida disse...

Me aconchegando uma vez mais no teu mundo..
Obrigada pelo carinho.

Flores!

Tiago Moralles disse...

Brigado Fê.
_

Sandrinha querida, jamais um desabafo é fonte de cansaço. Ouço-te essa e quantas vezes mais quiser.
_

Lú, chegue sempre.

M.M.Soriano disse...

Microgenialidade!
Um gigante com poder de miniaturização, és.
Parabéns pela riqueza do Blog e das letras.

Tiago Moralles disse...

Grande Soriano, olha quem fala.
Microabraços.

Moni. disse...

Aff, que tudo o que eu leio hoje me dá vontade de chorar...

Beijo, moço!

Ju Fuzetto disse...

E não tem remédio que dê jeito nessa ausência que grita sobre a folha de papel amarelado. E o coração ainda sente as marteladas da despedida.

Profundo!
beijo

Barbara C disse...

Meu deixou nostalgica mesmo não tratando de uma historia minha.



Bjo Ti!

Tiago Moralles disse...

Saudades Moni.
_

Ju, é uma doença sem cura.
_

Bá, tendemos a nos identificar com histórias tristes.

Luna disse...

tão clichê, e tão triste.

é triste, porque por mais clichô que seja, isso REALMENTE acontece.
o pai de uma amiga saiu de casa usando essa desculpa, e nunca mais voltou.

Tiago Moralles disse...

Tem um amigo que saiu do trabalho usando essa desculpa e nunca mais voltou hehe.

Renata de Aragão Lopes disse...

Lamentável...

Pôr um filho no mundo
é ato de IMENSA responsabilidade.

icaro de abreu disse...

é muito interessante como se dá a identificação dos cotidianos dos outros ao nosso superimaginado e por hor mentiroso.
A inspiração se retroalimenta

Tiago Moralles disse...

"A inspiração se retroalimenta", bom isso.

Talita Prates disse...

tem dor que não amarela.

bjo.