Microconto #317

O tic tac do relógio aumentava a sensação de eco em sua cabeça e o vazio o deixava ciclicamente, mais hipnotizado no objeto de chronos.

8 comentários:

Lorena Granja. disse...

E tem algo que nos hipnotize mais que um relógio quando tudo o que temos é um vazio e um nada pra fazer?
O tempo não passa, tic tac.

Laura K. disse...

O vazio dentro de nós talvez exista pra percebemos que o tempo passa e que precisamos fazer algo que nos dê vida, alegria e realizações.

Tiago Moralles disse...

Ou pra dizer que não somos nada mais do que um grande espaço pra encher de vazios. Triste.

Pedro disse...

Ai, esses Rolex's...

Silvia disse...

Muito bom!
Eu me identifico com o vazio, acho que somos cheios demais. É maravilhoso poder esvaziar interiormente, desconstruir, abrindo espaço a novas percepções. Acho que o vazio dentro de nós existe para mergulharmos nele, e percebermos que a felicidade e a tristeza brota de dentro pra fora, sem hora marcada, seja aqui ou em qualquer lugar.

Lembrei desse vazio
http://www.rubemalves.com.br/ovazio.htm

beijos Ti, bom fds!

Thiara Pagani disse...

Tudo se resume nos ponteiros do relógio, é a vida.

Tiago Moralles disse...

Cheios de vazios.

Ju Fuzetto disse...

A vida sincronizada no tum tum do relógio biológico grudado no peito.