Últimos instantes

Os olhos vidrados e apreensivos. Cada segundo parecia um momento eterno. Não era sempre que ele tinha aquela sensação de desespero. Todos parados e tudo imóvel, era como se todos que estavam lá, não percebessem o que acontecia. Quanto mais tempo naquele lugar menos tempo de vida, era essa sua filosofia.

Um aglomerado de gotículas ia acumulando em sua têmpora, formando assim, uma gota única de suor que parecia não querer ser expelida de suas glândulas sudoríparas, mas que com a tensão interrupta do efeito do caos momentâneo, não demorou a seguir seu curso, percorreu toda a circunferência de sua face, proporcionando-lhe um calafrio atormentador e repulsivo.

Ninguém precisava lhe falar, ele podia ver, ouvir e sentir, sua hora estava chegando, estava ali, só há poucos minutos, que por sinal, pareciam horas realmente. De repente, um movimento sutil de um dos presentes, provocou uma reação em cadeia em todos, ninguém reparava, parece que não estavam dando à mínima. O mundo estava em constante rotação desde sua origem, e até aquele momento só ele havia percebido isso, afinal, aproximava-se cada vez mais de seu infeliz destino.

Mais um movimento sutil quebrou o atrofiamento do tempo - meu deus, será que ninguém percebe a agonia que esse instante representa? - ele gritou, mas internamente, preferia não despertar todos de uma só vez daquele transe, vai saber no que isso acarretaria. Mais um sutil movimento. Pronto, ele sabia, será sua vez, está tudo acabado.

Outra gota de suor se formou e escorreu pelo seu rosto, só que agora, o desespero era tanto que ele mal percebeu toda aquela reação biológica da primeira vez. Mais um movimento sutil, o tempo agora parece voar, no mínimo, a rotação da terra aumentou a velocidade. Outro movimento e mais uma gota, outro movimento, e outro, e outro, e outro. 3-8-4. Pronto, agora é ele. Caixa 5. Todo final de mês é a mesmo coisa. É por isso que Kléber odeia fila de banco.

6 comentários:

Iasnara disse...

adoro isso, cara. finais impensáveis.

Tiago F. Moralles disse...

Diferente dos reais esses podem ser como a gente quer.

disse...

Esses finais me lembram Cony.

Fernando Segredo disse...

Estranho, eu até gosto de fila de banco. Mas só em contos.

Tiago F. Moralles disse...

"Conta" outra Fernando hehe.

Fernando Segredo disse...

Até conto, mas é Segredo.

Bom, agora chega de trocadilhos.