Microconto #130

No mal-me-quer do cotidiano, minhas pétalas pararam de cair.

6 comentários:

Felipe A. Carriço disse...

papai fugiu?

Iasnara disse...

autosabotagem desamorosa?

Tiago F. Moralles disse...

De onde vem a sorte agora?

camilla disse...

às vezes até faltam pétalas para tanto mal-me-quer.

Diu Mota disse...

E as perguntas sempre aumentam....acho que é esse o sentido da vida. Que não nos percamos...

Inté

Renata de Aragão Lopes disse...

Então, pare de perguntar
às flores...

Vá direto ao espelho! : (

Beijo,
doce de lira