Microconto #140

Os humanos sem chuveiro, dividiam em casa, sob o teto de uma noite fria, os restos de comida, que os cães não queriam.

16 comentários:

Felipe A. Carriço disse...

É a lei das sargetas.

Natalya Nunes disse...

A humanidade é desumana =/

Não teve como não lembrar de Manuel Bandeira:

Vi ontem um bicho
Na imundice do pátio
Catando comida entre os detritos
Quando achava alguma coisa
Não examinava nem cheirava
Engolia com voracidade
O bicho não era um cão
Não era um gato
Não era um rato
O bicho, meu Deus, era um homem.

Báh disse...

Bem lembrado o poema do Bicho, uns tem tanto outros tem tão pouco!

Victor Carvalho disse...

O Brasil e suas verdades incovenientes.

João Marcelo disse...

Minha leitura foi diferente. Imaginei um "planeta dos macacos", mas com cães dominando os homens.

Tiago F. Moralles disse...

Começamos na Terra e segundo o João já chegamos longe.
Vamos ver onde vai parar.

Iasnara disse...

rica e belíssima construção. parabéns, Ti.
me fez pensar: há beleza na tristeza?

Gordinha disse...

"E essa justiça desafinada, é tão humana e tão errada"

Renata de Aragão Lopes disse...

A cruel realidade
retratada nos microcontos
139 e 140.
Perfeitos!

Beijo,
doce de lira

Rodmoralles disse...

#fodapracaraleo

Tiago F. Moralles disse...

Referências, referências.
Reais, mas referências.
_


Rê, valeu.
_


Oh, Rodrigão, quanto tempo meu velho, saudade.

Thaís Albuquerque disse...

Não teve como não lembrar de Ensaio sobre a cegueira. Ótimo.

Encantada disse...

girando.... e cheguei aqui, bom de ficar.

Estou lá na ciranda.

www.estadodeentrega.blogspot.com

Um abraço!

Talita Prates disse...

Acho que acontece
mais do que imaginamos.

Antes fosse
apenas mais um
microconto perfeito
do Tiago.

Bjo!
Boa semana. :)

Tiago F. Moralles disse...

Ensaio, bem lembrado Thaís, triste e sujo.
_

Re, pode chegar sempre. O bom é ter você por aqui também.
_

Tá, triste e real como lembrou a Thaís.

Lara Amaral disse...

Às vezes o papel se inverte mesmo.
Gostei dos seus contos.
Abraços.