Microconto #151

Quando o pai entrava no quarto da pequena, junto com a tranquilidade, morria também a inocência.

28 comentários:

Marcelo Mayer disse...

vixi!

Marcelo Mayer disse...

virge

Natalya Nunes disse...

Ti, vc está participando do Prêmio Central de Outdoor deste ano?

Não vale ganhar de novo, hein?...rs

Muito triste essa realidade =/
As crianças acabam se tornando prisioneiras da sua própria inocência.

Parabéns pelo #MC

;*

Tiago F. Moralles disse...

Virge já é passado Marcelo hehe.
_

Naty, esse ano eu não estou não, mas valeu mesmo assim.
Beijo.

Felipe A. Carriço disse...

Esse foi indiretamente direto.

D i c a disse...

Não é um pai, e sim um monstro forjado de pai.


Percebo que está na moda esses "microcontos". Já li alguns em blogs diferentes, só nessa manhã.

Beijo!

Renata Luciana disse...

sintomas, arquivos adormecidos que revelam seres alterados. Fluxo do conflito.. Olho sobre o mundo. Triste!

Gordinha disse...

Filho da puta! É assim que inocência se transforma em vingança e maldade!

Bjs!
=D

Mônica disse...

Vendo muito jornal, né? Por isso que nem vejo mais TV ou leio notícias.

Quando puder, olha o que eu escrevi:
http://monicadebrito.wordpress.com/

Beijo, escritor!

Tiago F. Moralles disse...

Dica, isso é conspiração.
_

Triste nada Rê, real.
Viu o comentário da Tálita? É assim que nascem pessoas revoltadas.
_

Verei Mônica.
Beijo.

Carol Mioni disse...

Salve a adolescencia!

Sakana-san disse...

O pai foi catequizar a filha. Sempre que metem religião no meio da família dá nisso.

Dandara disse...

P.
trauma.

Lisa Alves disse...

Nossa, senti o verdadeiro peso de poucas palavras.

Cleyton Cabral disse...

Putzzzzzzzz.

Talita Prates disse...

E saber que acontece, de fato
em tantas microvidas.

Bjo, Ti.

Tiago F. Moralles disse...

Tá, era pra chocar, assumo hehe.

Estefani disse...

Realmente chocante. Confesso Fidélis...hehe

Uma pena que as estatísticas não são uma das melhores.

barbara disse...

Nem sei o que dizer.Mas existe muitos não são pais e sim monstros mesmos!


bjs

carla l. disse...

Essa sabe que o monstro não está dentro do armário e nem debaixo da cama, mas sim que pode vir de qualquer cômodo da casa.

Renata de Aragão Lopes disse...

Polêmico.
Repugnante.

Carol Moralles disse...

É algo que é comum, infelizmente. Muitas meninas sofrem e poucas contam...
Conseguistes acertar o ponto e manter o prumo (hehehe).

Tiago F. Moralles disse...

É meninas, triste realidade.

Paulinha disse...

O.o


Infelizmente acontece mais do que imaginamos =/

Alpho Ramsay disse...

Apesar de genial, gostaria que esse microconto não existisse.
Parabéns velho!

Olha ai o blog que to escrevendo, inspirado no Penates! http://www.silabassoltas.blogspot.com/
Abraçoo

Luna disse...

cheguei atrasada.

mas quando li também pensei: geeente!

mais ou menos isso.

A Moni. disse...

Taí uma coisa que me tira do sério....

Aline Castelan disse...

Forte.

Assustador.

Essa é uma das atitudes que mais me dão ódio.

;*