Microconto #220

O roteirista anônimo ganhava dinheiro escrevendo sua própria história.

15 comentários:

Blyef disse...

E ele nem se deu conta do quanto foi bom... Será? Acredito que ele lucrou mais com o improviso do que se ensaiasse as próprias falas...

Natalya Nunes disse...

Igual ao homem aranha que ganhava dinheiro tirando suas próprias fotos?

Dani Brito disse...

Nossa, se eu decidir escrever a minha, Manoel Carlos que se prepare...rs
Beijos

Tiago Moralles disse...

Boa Naty.
_

Dani, conta um pouco pra mim então?

Erica Ferro disse...

Parei de escrever a minha. Não tava ganhando nada com isso mesmo, hehe...

Estefani disse...

Lucrava mais com as parte inventadas, do que com a verdade que se escondia atrás de uma máquina de escrever. Uma vida pacata e sem emoção.

Beijos.

Marcelo Mayer disse...

é como a piada do comediante depressivo

[ rod ] ® disse...

No anonimato de um ser o desejo e o ódio competem em grau máximo. Abs meu caro!

Tiago Moralles disse...

Coisas que não falam de nós mesmos.

Renata de Aragão Lopes disse...

Ideia brilhante!

Diu Mota disse...

A partir de hoje vou cobrar!

Bruna. disse...

mas, se ele era anônimo, como pagavam pra ele? hahahaha :x brincadeira, nao resisti... :*

Luciano disse...

Não devia ser uma vida rotineira.
Abraço meu caro. Sempre bom passar por aqui.

Moni. disse...

Um auto-ghost-writer???

Renata Levy disse...

Não importava como seria o fim, só queria continuar escrevendo o hoje... certo?